“Aquele era um dia para se fazer história. Dragões enfrentariam um robô gigante”.

Terminei mundo de dragões, terceiro e último livro do legado ranger e vivi ao lado de Derek, Amber, Ashanti, Romain, Daniel, Strinder, Adross e Mihos uma aventura incrível, brutal, misturando batalhas épicas, dragões, seres de outras dimensões, rangers, romance, dramas e uma doze certa de humor.

Isso mesmo que você leu, eu vivi.

A imaginação é surpreendente e eu mergulhei fundo nela.

Eu posso não ter sido a melhor, mas, nesse momento sou a sua única escolha ?disse Derek Faça o seu trabalho, me ajude a levar Mihos e a salvar minha dimensão… E então eu passo a fazer o seu trabalho.

nessas últimas 352 páginas eu vi:

Demônios tomarem os céus montados em dragões renascidos, homens serem tentados, a serpente subir do abismo e seres de sangue frio formarem aberrações.

Heróis nasceram e morreram no mesmo campo de batalha e o mundo viu o surgimento de novos reis.

Consegui perceber o amadurecimento dos personagens ao decorrer dos livros, como eles lidam com a morte de pessoas próximas, o conflito de aceitar serem os heróis que a Terra precisa, de se tornarem um grupo, uma família e sem mencionar aguentar tudo o que eles passaram até o final.

Era a primeira vez que as crias do Vespa Mandarina se revelavam para o mundo. (…) Não importava para onde todos corressem, elas estavam por toda parte, eram pelo menos duas centenas causando estragos aos milhares.

Eu cresci fazendo amigos em páginas de livros, e quem me conhece um pouco sabe o quanto gosto de escrever, tento fazer em meus textos o que essa saga fez comigo, transmitir as sensações do que está acontecendo na leitura, e sei como é difícil e desafiador.

Mas o Raphael Draccon, consegue de maneira tão fácil e nos prende do começo ao fim dessa saga, os três livros eu li com a mesma intensidade e consegui viver essa fantasia.

Essa com certeza já se tornou a minha trilogias favorita.

– Eu afirmo a vocês nesse momento, com toda a sinceridade: nunca trocaria o que nós conquistamos nessa jornada. E faria tudo de novo se fosse preciso. Eu reviveria tudo, se este fosse o preço a pagar ? o de morrer no dia de hoje para que qualquer uma de vocês possam viver.

Heróis, heroínas e idiotas até o fim?

– Até o fim. Mais do que nunca, até o fim.

 

Anúncios