Livros Resenhando

O poder da espada – Trilogia a primeira lei.

Era noite. estava em meu quarto e terminei mas um livro.

E pensei – CARALHO QUERO IR PARA ESSA EXPEDIÇÃO COM BAYZ – me vi imaginando como seria lutar ao lado de Logen nove dedos e a menina Ferro. Ou ver Bayz o primeiro dos magos careca e barbudo lutar contra o que é que virá para cima dele.

“O vento pareceu mais frio do que antes. Se Logen passasse a vida inteira sem ver
Bethod de novo, ainda acharia cedo demais para reencontrá-lo. No entanto, algumas
coisas precisam ser feitas. É melhor fazê-las do que viver com medo delas. Era o que
o pai de Logen teria dito”

Nesse primeiro livro tive vontade de está naquelas fogueiras que Logen fez no inicio do livro e está papeando com o ele, cachorrão, Rudd três arvores e poder xingar um bocado o barca negra, mas que filho da puta não ? que se emocionou com a morte do fraco, que era péssimo para brigas, mas tinha um puta coração enorme, que grupo hein… eles ficaram sem o seu líder o Nove sangrento (Logen) que estava em uma luta contra os shankas e porra ele caiu de um penhasco, com certeza estaria morto né ? mas não é esse o fim que o Logen, o nove sangrento teria.

O livro no começo é lento, mas da para perceber que nesse primeiro momento é mais para aprender sobre a politica da união, sobre o norte e como os personagem são e agem, mas nem por isso o livro é ruim, é bom demais.

– Lutei em três campanhas – começou. – Em sete batalhas difíceis. Em inúmeros
ataques rápidos, escaramuças e defesas desesperadas, e em ações sangrentas de todo
tipo. Lutei durante uma nevasca densa, no vento furioso, no meio da noite. Venho

lutando toda a minha vida, contra um inimigo ou outro, com um amigo ou outro.
Conheço pouca coisa além disso. Vi homens serem mortos por causa de uma
palavra, de um olhar, de absolutamente nada. Uma mulher tentou me esfaquear
uma vez por ter matado o marido dela e eu a joguei num poço. E isso nem de longe
é o pior. Para mim, a vida tinha tanto valor quanto a poeira. Menos até.
– Por dez vezes fui escolhido o campeão para duelar por meu exército e por dez

vezes venci, mas lutei no lado errado e por todos os motivos errados. Fui implacável,
brutal e covarde. Esfaqueei homens pelas costas, queimei-os, afoguei-os, esmagueios
com pedras, matei-os enquanto dormiam, quando estavam desarmados ou
fugindo. Eu mesmo fugi mais de uma vez. Já me mijei de medo. Implorei pela vida.
Fui ferido muitas vezes, ferimentos graves, e gritei e chorei feito um bebê que quer o
peito e a mãe não dá. Não tenho dúvida de que o mundo seria um lugar melhor se
eu tivesse sido morto há anos, mas não fui, e não sei por quê.
Ele olhou para as mãos, rosadas e limpas na pedra.
– Há poucos homens com mais sangue nas mãos do que eu. Nenhum, que eu
saiba. Sou chamado de Nove Sangrento por meus inimigos, e eles são muitos.
Sempre há mais inimigos e menos amigos. O sangue não traz nada além de mais
sangue. Agora ele me segue, sempre, como minha sombra. E como acontece com
minha sombra, nunca posso me livrar dele. Eu o ganhei. Mereci. Busquei-o. Esse é o
meu castigo.

– Logen

Gostei para caralho do inquisidor Glockta que era um espadachim foda, o melhor do próprio do rei, mas foi capturado e torturado na última guerra o que fez ele se tornar um homem aleijado que não serve nunca mais para carregar uma espada.

“Corações partidos se curam com o tempo, mas dentes quebrados, não.”
– Glockta

de modo geral é uma historia muito bem escrita e que tem personagem muito fodas, se você gosta de historia medievais no estilo game of thrones, acho que você pode adorar essa leitura.

“Quando chegar a hora, mandaremos três sinais, vocês terão notícias nossas.”
– Hansul Olho Branco

Anúncios

Sobre Thiago D.

Minha maior arte é a forma que eu vejo o mundo e as coisas que acontecem ao meu redor, tenho uma empatia muito grande, entendo como as coisas estão acontecendo ou devem acontecer e isso ajuda na minha percepção para fazer sistemas, estruturar raciocínios lógicos e a construir textos, contos e afins. Busco colocar em palavras os mais diversos sentimentos e sensações, o que escrevo não é autobiográfico, eu chamo de usar a vida como matéria prima. Meu jeito de escrever é esse, e se me perguntarem isso é ficção? Ou não é ficção? – Está no papel(no caso, tá no blog), aconteceu ou não, é ficção.

1 comentário em “O poder da espada – Trilogia a primeira lei.

  1. Pingback: Meio Rei – Mar Despedaçado I – De Saco Cheio e Mau Humor

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: