O filme é baseado em uma história real que acontece durante a segunda guerra mundial especificamente na Batalha de Okinawa e tem como protagonista o médico do exército Desmond T. Doss que é interpretado por Andrew Garfield, que se recusa a pegar em uma arma e matar pessoas.

Essa é sua crença, sua ideologia e não tem nada que o faça mudar de ideia.

Até o último homem mostra fé, o herói, a violência e tudo com um misto de patriotismo que filmes de guerra mostram.

Dos longas indicados na categoria de Melhor Filme que eu já assisti, esse é o mais fraco.

Mas isso não significa que o filme é ruim, pelo contrario é muito bom as cenas de ação fazem o longa melhorar consideravelmente no segundo ato e o enredo parece finalmente encontrar seu rumo nessas cenas de batalha que simplesmente são espetaculares e muito bem dirigidas pelo veterano Mel Gibson: tem esquartejamento, tiro na cara, no olho, amputações involuntárias de membros e muito sangue.

A performance mais do que inspirada de Andrew Garfield e excelentes aspectos técnicos, “Racksaw Ridge” consegue ser mais poderoso e interessante do que os filmes de guerra convencionais.

Gibson entrega um desfecho impecável, fechando muito bem a história de Desmond T. Doss, que mesmo apelidado de covarde, lutou com sua fé e salvou até o ultimo homem.

 

Anúncios