Os curtas da Pixar são um charme. São pequenas pílulas de alegria e lições de vida. O primeiro que assisti foi O Jogo de Geri, que era exibido antes de Vida de Inseto e conta a história de um senhor jogando xadrez contra si mesmo (pelo menos foi o que eu entendi). O meu preferido é o Coisas de Pássaros, que mostra um pássaro (óbvio!) todo desengonçado que sofre bullying de um bando de passarinhos (que, cá entre nós, eram tão esquisitos quanto). Admito que depois da criação do DVD eu não assisti muito dos curtas de filmes depois de Monstros S.A. (inventaram de colocar nos extras, não é sempre que eu vejo os extras), mas os que vi sempre acertavam na fórmula (sabe aquilo que eu falei das pílulas?). Agora em 2017, um novo curta ganhou o meu coração: Trabalho Interno.

Trabalho Interno é o curta exibido antes de Moana: Um Mar de Aventuras. Este curta é dirigido pelo brasileiro Leo Matsuda e conta o eterno dilema entre razão e emocional. Vemos um trabalhador dividido entre a necessidade de trabalhar e a vontade de se divertir. Na minha opinião é uma mistura entre o lado emotivo de Divertidamente e o trabalho repetitivo de Tempos Modernos. Eu simplesmente amei essa história e acredito que muitas pessoas irão se identificar.

A lição que tirei é de buscar o equilíbrio. Sinto que excesso de razão ou de emoção pode ocasionar em problemas de saúde. O ideal seria se a razão e a emoção se encontrassem em um trabalho prazeroso. Infelizmente isso é algo que beira o utópico. Quem sabe no futuro possamos viver essa realidade.

Anúncios