Garçom troca o DVD

Confesso… não sou mais butequera!

Felizmente, essa fase na minha vida passou. Pra quem gosta, ok! Admito que tem seus encantos, mas para a Lucinha aqui, balada boa é debaixo das cobertas com o Ricardão, ou Maristela, sei lá… depende do momento.

Apesar de não curtir mais as noitadas, tem um algo que não abro mão nas festas em família, ou nos encontros de amigos: cantar as famigeradas músicas bregas e, a plenos pulmões proclamar ao mundo seus refrões:

“Eu vou rifar meu coração…”

“Saiba que o meu grande amor, hoje vai se casar!”

“Vou negando as aparências, disfarçando as evidências!”

Há! é muito legal!… Principalmente quando você está cercada de pessoas que só querem dar risadas!!!! kkk, rir até não querer mais da ridicularidade da situação e rir porque é um dos ridículos na situação… Muito bom de vez em quando.

Infelizmente, por muitos anos, houve uma certa ausência de coisas novas nesse meio musical. A divertida “breguice do sofrido coração“, passou por um tempo de, digamos, um sono profundo, onde pessoas como eu, que gostam muito desse estilo musical, tiveram que se conformar com o saudosismo dos clássicos dos anos 70, 80 e 90. Não porque não houvesse nada novo, mas porque se tornou muito escasso um bom material.

tudo parecia perdido e, eu já estava me conformando com a ideia de ficar, tipo, aquelas velhinhas dizendo:

“No meu tempo é que tinha coisa boa!” ou “Brega bom era Amado Batista!”

Mas eis que, em determinado momento, aparece a salvação!

A música sertaneja, que é sempre tão mal falada, traz a partir de 2014, se não me engano, inovações importantes, com cantoras como Maiara e Maraísa, Marília Mendonça e May e Caren, para salvar os finais de noite dos pingaiadas animados. Refrões como:

“Coração de osso! Todo cachorro é dono”

“Alô porteiro!”

“Garçom troca o DVD, que essa moda faz sofrer e o coração não guenta!”

Digamos que, ventila, traz algo novo para as cantorias de final de noite, além de dar um novo repertório para “os corações sofridos e encharcados” encostados nas mesas de bar.

No tocante da questão, pouco importam as construções musicais, qualidade ou valor da propaganda investida pra levantar os artistas, na hora da emoção isso pouco importa e também, quem é o chato que fica especulando ou filosofando sobre a letra desse tipo de música… affe! se você conhecer, me apresenta, pra eu nunca ficar perto de tal ser humano na hora do fervo!

Importante é saber que, o novo sempre  vem e, graças ao nosso bom Deus por isso. É muito chato viver se exaltando os ídolos do passado, como se só o que foi feito em outrora fosse bom.

Sou da geração anos 80, quando a tecnologia mais avançada para se falar nas periferias era o orelhão, as cartas eram o melhor meio de comunicação com parentes de outros Estados e os brinquedos não tinham muita tecnologia. Aqueles tempos eram bons? Sim eram bons. Por outro lado, as pílulas anticoncepcionais eram verdadeiras bombas de hormônios que praticamente endoidavam as mulheres, só ricos viajavam de avião e a AIDS era chamada de “câncer gay“. Será que eram tempos tão bons assim?

Fico com a minha visão de mundo: Todas as épocas tem suas belezas e tristezas, cabe a nós retirar delas o seu melhor.

É maravilhoso que o novo venha, que tenham refrões novos para cantarmos em coro e bêbadamente, com amigos ou pessoas que não se sintam constrangidas em passar ridículo só pelo prazer das boas risadas, quem sabe até, ao final de tudo, tirando aquelas fotos tremidas que se bobear, serão deletadas e ninguém vai se importar com isso, pois mais valeu o momento do que o registro.

Assim como as músicas, é importante fazer com a vida… Se aproveitar o melhor dela, no momento que estamos vivendo, crendo que o novo sempre vem e pode ser tão bom quanto o tempo presente. A vida sempre vai trazer algo novo, pessoas e emoções novas, lugares a se conhecer e emoções a se experimentar.

Se privar de viver isso é como guardar uma linda joia em um cofre. De quê adianta se ter tanto valor e beleza presos em uma caixa onde ninguém pode admirá-la? De quê vale se guardar tão grande valor com medo do roubo? É compreensível, contudo incoerente, quando pensamos que o belo só é considerado assim quando se tem quem o admire.

Por isso, a vida é tão selvagem e rara. Porque é bela e única, e está aí para ser vivida no tempo presente. Viver de saudosismos é perda de tempo, porque enquanto se olha o passado o presente está acontecendo e, se não nos atentamos, perdemos a oportunidade de viver coisas tão boas quanto antigamente.

Que a vida é séria e a guerra é dura, como dizia Raul Seixas, ninguém contesta, que vivemos um mundo mais violento e louco, mais reflexivo e chato, isso também é verdade, no entanto, continuamos vivendo evoluindo e ainda existem pessoas boas, criativas e divertidas que o fazem melhor. Não existe esperança de melhora, mas e daí? não é por isso que eu precise me afundar em sua decadência…

Então, enquanto o mundo se acaba, não sei você, mas eu escolho todos os dias, independente deles serem bons ou maus, viver o melhor que ele pode me trazer… até mesmo me juntar com um bando de pingaiadas amigos (ah! Não bebo uma gota de alcool, não é necessário, meu estado natural já é meio alterado… kkk), pra cantar: “Garçom troca o DVD!”

A vida é uma dama que não aceita desaforos, gosta de ser cortejada, mimada e vista. Quando a tratamos assim, ela é doce, generosa e, apesar de as vezes dar alguns “pitis“, recompensa generosamente aqueles que a agradam, no entanto, se a desprezamos, ela sabe ser amarga, vingativa e traiçoeira, castigando aqueles que não a sabem tratar como ela deve ser tratada.

Moral da história: Se o seu hoje vai ser belo ou doloroso… saudosista ou inovador, isso só vai depender de você!

Um forte abraço de Lucy

e não se esqueçam: Quando a tristeza vier, o cansaço chegar, as contas atrasarem e a vida parecer não ter sentido ordene: Garçom troca o DVD!… quem sabe um dia ele te obedece!

 

 

 

Anúncios

Autor: L. Mathias

A grande beleza de ser humano é ter a liberdade de mudar.... Pois bem, continuo mudando e melhorando Sou apaixonada por pessoas Sou apaixonada pela vida E quero viver sempre o melhor dela... ah! Descobri que gosto muito de dinheiro e do que ele pode me proporcionar... e isso não é pecado.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s