Se alguém escreve”todXs” ou “magicKa” você já sabe que a pessoa leva sua ideologia a sério. No caso da magia, acho que o primeiro filho da puta a inventar essa moda foi Aleister Crowley. Você talvez conheça esse nome pelas dezenas de bandas de rock desde The Beatles até Black Sabbath e Iron Maiden que ele influenciou, além de Raul Seixas e Paulo Coelho, é claro.

Crowley definiu a magia como sendo “a arte de fazer mudanças de acordo com a vontade”, mas eu acho que cheguei à uma definição que me agrada mais: É a crença de que você pode conseguir o que quiser sem consequências. Ter o corpo que quiser, a carreira, a casa, o carro, a garota, sem as consequências que forçar algo desse tipo trariam para a pessoa. É querer fazer ovos dançarem com pedras sem se quebrar, e isso não existe.

Alguém poderia achar isso ridículo, e dizer que o número de pessoas que ainda acredita nisso é ínfimo, mas esse alguém estaria enganado. O número de pessoas assim no planeta é enorme e aumenta cada vez mais. Só que as pessoas não enxergam isso mais como “magia”. Elas chamam de PNL¹, TCC², Coach, ou Hipnose. Não importa o nome, são todos sistemas de magia que prometem te dar o que você quer em pouco tempo e sem esforço – ou pelo menos sem todo o esforço que você teria procurando outros meios pra isso.

Quer ser atraente e pegar geral? Você não precisa mais evocar Lilith, o demônio da luxúria em um ritual goético para te dar poderes. Basta fazer um círculo de excelência com as habilidades que você deseja e com um pouco de PNL você pode ter o que quiser em segundos! Quer se livrar de uma fobia ou um sintoma desagradável? Chega de simpatias ou curandeiras, uma boa sessão de Dessensibilização Ativa e Hipnose resolvem o seu problema. Quer dinheiro? Fama? Sucesso? Os mestres Coach estão aí para te ajudar a fazer o que mais ninguém consegue. Sem consequências. É magia.

Uma diferença, no entanto, dos sistemas de magia antigos para esses atuais é que mesmo nos antigos sempre haviam avisos de precaução. Não era um método 100% sem consequências: Você precisaria vender sua alma, existe a lei da atração, a lei do retorno, a lei do carma… Um sistema de leis que teoricamente impediria os “magos” de abusar desse poder.

No entanto nos sistemas de magia do século XXI os feitiços são vendidos como sendo inofensivos: Tenha tudo o que quiser sem sacrificar nada em troca por isso. Sem sofrer e sem efeitos colaterais. E funciona! Qual o problema então, não é mesmo?

Não importa que sua inibição com o sexo feminino seja causada por problemas de abandono na infância que irão gerar complicações durante seu casamento futuro que poderão eventualmente resultar em um divórcio. Não importa que sua fobia seja a representação de um abuso infantil reprimido que existe para impedir o surgimento de algo pior. Não importa que o que te impede de ter sucesso financeiro com sua empresa de contabilidade seja que na verdade você sempre quis ser pintor. A magia não se importa com nada disso, ela está lá para resolver os seus problemas, no questions asked.

Mas não se engane, isso não quer dizer que não existam consequências. Os sintomas e inibições dos quais você se queixa são apenas a superfície. Existe algo muito pior por baixo, que o sintoma está tentando te mostrar. É como a febre que tenta mostrar a existência de uma infecção: Tomar um antitérmico fará a febre sumir, mas não irá curar a infecção, que continuará a se espalhar pelo seu corpo até dar origem a outro sintoma, que você pagará outro médico para eliminar, e de médico em médico, de mago em mago, seu corpo definha enquanto você continua sem saber a causa.

E sem essa causa, que só você pode descobrir, não importa quão grande seja o poder dos magos: Você nunca conseguirá realizar o seu desejo real, por que você nunca parou para ouvir seu corpo dizer qual era. Ele tentou lhe contar, mas você preferiu pagar a um mago para silenciá-lo, e agora, no silêncio, não consegue mais ouvir por qual caminho seguir.

Não preciso então inventar um sistema cármico, lei do retorno ou justiça divina para justificar minha opinião de que é melhor ficar longe desses tipos de magia: A própria mecânica de causa e efeito da mente humana já é inimigo muito pior do que tais ameaças. Fique longe também daqueles que vendem a cura em frascos: Estes apenas sintetizaram pela química os feitiços dos magos e os vendem a rodo para seu sustento.

Se “o Eu não é senhor em sua própria casa”³, nós, como inquilinos, fazemos melhor negócio tentando conhecer o terreno do que tentando mudá-lo contra a vontade do dono. Por que vou lhe dizer: Você não vai querer irritá-lo

¹ Programação Neuro-Linguística

² Terapia Cognitivo-Comportamental

³ Sigmund Freud, 1917

Anúncios