Poemas

Regras

Silvio Santos, Eike Batista

Nenhum deles tem faculdade

Mas tendo mais grana do que terei um dia

Não me parece um problema, na verdade

 

O filho de Clapton caiu da janela

E sua música é lembrada até hoje

Burroughs, gay, drogado, matou a esposa

E se tornou um dos maiores escritores

 

Pintores, cientistas, poetas, artistas

Bêbados, drogados e vagabundos

Mas são esses, e não você, meu caro amigo

Que irão um dia mudar o mundo

 

O mundo quer que sigamos suas regras

Com a desculpa de que teremos um melhor destino

No entanto, tudo o que conseguimos com isso

É sermos para sempre esquecidos

 

Então não me venham cagar suas regras

Velhos covardes e ressentidos

Que sua covardia morra com vocês

E que nos deixem viver sozinhos

Anúncios

Conatus: Substantivo. Latim para esforço; impulso, inclinação, tendência; cometimento. É um termo usado em filosofias de psicologia e metafísica para se referir a uma inclinação inata de uma coisa para continuar a existir e se aprimorar. Outros autores a chamaram de Vontade, Desejo, Pulsão, Elan Vital, a essência inconsciente que dirige suas ações para satisfazê-la quer você queira ou não. David Conatus, no entanto, não é um substantivo. É um verbo, uma ação, a ação de exorcizar em palavras minha visão da existência e do mundo, e de talvez conseguir um pouco de paz ao fazer isso. Já quanto a paz de vocês, leitores, isso eu não posso garantir. Prossigam por sua conta e risco.

0 comentário em “Regras

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: