“Você tá cada dia mais impossível!”

“Me larga de uma vez então! Volta pro seu ex-namorado perfeitinho!”

Aquelas palavras me deixaram em choque. A que ponto tínhamos chegado? Mesmo depois de tanto tempo de namoro, ele ainda achava que tinha algo inacabado entre eu e Thomas. Será que ele não entendia que se eu estava com ele era porque eu o amava de verdade? Eu não sou o tipo de mulher que fica com uma pessoa pensando na outra.

Na minha cabeça, passa um filme de tudo o que aconteceu nos últimos cinco anos. A primeira troca de olhares, a primeira conversa, a primeira cantada, o primeiro encontro, o primeiro beijo, a primeira vez, a primeira briga. Momentos felizes e tristes tornavam esse relacionamento agridoce. Cada segundo tinha valido a pena.

Mas agora vários pensamentos ruins me atingiam. Será que o amor acabou? Se acabou, será que era amor de verdade? Não sei de mais nada. Depois de jogar aquela frase derradeira, viramos as costas e fomos nos arrumar para o trabalho. Durante esse processo, nenhuma palavra foi trocada.
Enquanto eu escovava os dentes, ouvi a porta da frente fechar. Ele tinha ido embora. Na mesinha de centro, um bilhete e uma paçoca:

“Desculpe ter saído sem te dar tchau. Fiquei muito envergonhado de ter mencionado Thomas. Por favor, me perdoe. Não desista de mim. Eu ainda valho a pena. Te amo.”

Dei um sorriso. Talvez não durasse para sempre. Talvez não fosse amor verdadeiro. Mas sem dúvida era um sentimento bom e iriamos curtir pelo tempo que fosse.

Com um suspiro apaixonado, peguei minha bolsa e saí.

Anúncios