Definitivamente, os garotões cheios de marra e marombas são um saco.

Muitos caras legais sucumbem ao popular e deixam de lado a inteligência para serem farofeiros no rolê regado a cervejadas e tequilokas da faculdade, onde se preocupam mais em ficar com a mina gostosa da sala e foda-se a DP. Esses caras são até bonitos, mas são toscos.

Conheço “uma pá” de mano que postam #sextou e #OrgulhoDeSerHétero, na boa, esses caras não agregam nada e acho mais divertido, interessante e agradável os caras magrelos do que os grandões, que até gostariam de ser nerdezinhos, mas esses caras magrelos e nerds não comem ninguém. Será?

Os grandões só têm corpos desproporcionais e parecidos com um triângulo invertido ou um sorvete de cone que no caso, ninguém quer chupar, nunca terão nada além de whey protein, ao menos que sejam fisiculturistas e isso dá grana, mas esses caras só querem uma fodinha e uma cerveja.

Fodinhas e cerveja são boas e a gente sabe disso, mas é cansativo viver apenas em torno disso — ninguém tá falando em discutir Freud, teorias da comunicação ou budismo numa conveniência, tem lugar mais “acadêmico” pra isso — a questão é que também existem lugares “botequeiros” e lá que se deve falar da mina gostosa que cê pegou, do menino boca de veludo da semana passada. Sem moralismo e problematização, não fode.

Alguns poderiam pensar ser inveja da minha parte, mas sinceramente, popularidade não é o meu forte, não curto e não quero ser. Certamente eu me encaixo no tipo anônimo que come quieto e não dá alarme.

No geral, não sejam o tempo todo the golden boys, hedonismo demais faz mal. O tesão não está unicamente na virilha, começa lá, mas deve terminar no cérebro.

Anúncios