Essa semana me perguntaram: Se você pudesse ser um super-herói, quem você gostaria de ser?

A resposta foi automática: MULHER GAVIÃO! 

A justificativa é solicitada sempre (ainda que inconscientemente), e eu dei: 

“Ela salva o mundo de calça leggin, usa uma máscara sedutiva e no final do dia ainda tem um boy pra beijar na boca!”

Fala sério, mil vezes a mulher gavião.

Há quem goste da mulher maravilha, mas não me agrada: vive lutando, salvando o mundo, mas no final da noite, fica ela com sua solidão… certo que ela tem seus rolinhos com o Superman e tenta com o Batman, mas é solitária no final das contas. 

A mulher gavião morre e nasce constantemente, a mulher maravilha não. O triste da mulher gavião é que ela vive periodicamente a morte de seu amado, o Gavião Negro, mas a mulher maravilha… por quem ela chora mesmo?  

Final das contas a amazona de história indefinida é só uma mulher solitária, que sofre em silêncio seus problemas, uma fortaleza inabalável que salva o mundo, mas não salva a sua própria história. A Gavião, por sua vez, tem muitas histórias paralelas.

Quem assiste o seriado Lendas do Amanhã, vê em um capítulo ou outro, ela se encontrando com suas histórias: hora com um filho idoso, hora segura esse filho no colo, se vê velha em outro momento, mas nem seria necessário porque ela retém o conhecimento e a memória de todas essas vidas. Sofre, ri, se alegra, vive milhares de emoções, e ainda salva o mundo.

Ama incondicionalmente seu Falcão Negro, mesmo sabendo que ele vai morrer, vida após vida, mas sempre se permite viver tal amor; o beijo perene, o abraço que terá o final, as conversas depois do sexo e todas as vezes que ele morre, ela continua sentindo a mesma dor infernal da perda de seu amado… e continua salvando o mundo.

As duas tem seus pontos positivos e negativos. As vezes, gostaria de ser como a Mulher Maravilha: inabalável e linda, mas não aprendi o esporte. No final das contas, tendo psicologicamente, creio, para a Gavião. Fato é que Gavião tem em si uma humanidade surreal e nisso, eu vejo a nossa maior semelhança: SENTIR.

Vivemos em um mundo muito cruel. Infelizmente. Para que possamos ser considerados pessoas bem sucedidas ou felizes, faz-se necessário se reprimir ou esconder alguns sentimentos como a tristeza, a decepção e etc. Isso é uma loucura! Como alguém pode se dizer feliz se não sofre, se não chora?

Pensem em como tratamos e somos tratados quando terminamos algum namoro ou casamento, é comum (logo depois do relato da história), ouvir-se as frases:

  • Eu sinto muito!

– Você sente? Fala sério! É a minha casa e a minha vida que ficou vazia, é o meu coração que está dilacerado… Você vai sair da minha presença e vai pra sua casa e provavelmente vai abraçar seu amor e assistir alguma série no Netflix… e os meus sentimentos vão continuar me torturando.

  • Logo logo você arruma outra pessoa!

– E quem disse que eu quero isso criatura? quem disse que as pessoas são substituíveis? Hoje eu quero chorar, sofrer, ouvir Marília Mendonça… gritar para o mundo: Alô Porteiro!!! Meu coração virou taxi agora? sai um e entra outro e vida que segue? Não é bem assim que a coisa funciona.

  • Vamos! Pare de chorar! Ele/a não merece suas lágrimas!

– E quem disse que eu sempre dou o que as pessoas merecem? Qual é o problema de se derramar lágrimas, se lamentar por alguém que foi embora?… Para! Você pode sentir muito e eu que estou passando pelo perreio, não?

Que droga! Essas frases parecem tão consoladoras, mas no final são verdadeiras bofetadas: Parece que hoje é feio ou demérito se entristecer, ficar enlutado, chorar e por isso perdemos a grande oportunidade de sermos realmente humanos, que vivem seus sentimentos… que vivem.

A falsa ideia do: “Não sofra”, tem nos tornado uma sociedade de mulheres maravilhas: solitária, de relacionamentos líquidos, quase insensível, encastelada dentro de si, de histórias indefinidas… salvando o mundo, sem se salvar.

E o pior é que essa tendência é uma constante e já está tão encrustada em nossas ações que reproduzimos essa insensibilidade sem perceber, falamos tantos: Meus sentimento e no final não sentimos nada, não choramos com quem sofre e na grande maioria das vezes, quando paramos pra ouvir alguém, ouvimos o que queremos ouvir e não o que as pessoas estão realmente dizendo.

Temos tantas respostas prontas, manuais, jeitos de fazer melhor, que não nos damos a chance de errar, nos decepcionar, de viver  coisas ruins que nos tornam menos “encastelados” emocionalmente; e o plano seria perfeito se a vida fosse uma história em quadrinhos, mas não é, e independente da “fortaleza de alegria bem sucedida” que tentamos construir, o dia mal vem. Vem o tempo do choro, da tristeza, da separação, do luto… E o “PARE DE SOFRER” não funciona porque lágrima não tem ouvido e sentimento não tem freio. E a dor fica mais latente porque nessa Sociedade de “Mulheres Maravilha”, poucos são os que entendem o momento que passamos e a pressão aumenta porque somos constantemente bombardeados com a responsabilidade de estarmos sempre bem.

Ninguém quer ouvir o nosso choro, ninguém entende nosso lamento, mas se você quiser uma opinião de como lidar com seus sentimentos? Voi Lá! Eis uma multidão de pessoas, como você… cheias de manuais, tutoriais, receitas, respostas prontas, jeitos melhores de viver a sua vida… ah! Sem se esquecer dos ouvidos fechados… porque, imagina que alguém que sofre, precisa ser ouvido!

Ninguém merece!

Por isso me identifico com a Mulher Gavião!

A penosa ama, chora, sofre, beija na boca, se guarda, segura seus filhos, curte suas rugas, se enluta, se permite viver um amor eterno, luta, observa, renasce constantemente e usa toda sua sabedoria e sagacidade para salvar o mundo e não perde o seu… a Gavião vive a vida, vive com humanidade.

Ela sabe que vai sofrer, que o boy vai morrer, que aquela dor dos infernos vai tomar seu coração e sua mente, vida após vida, e mesmo assim, ela se permite, vida após vida, a beijar sua boca, tocar seu corpo, andar de mãos dadas e chorar em cima de seu corpo inerte… E o mundo continua sendo salvo.

Tem coisa melhor? SENTIR… simplesmente porque os sentimentos estão aí pra isso mesmo. A todos que lêem… segue o meu conselho:

Deixa a vida estraçalhar esse coração. Se permita chorar, sofrer, se enlutar, na mesma proporção que você vive a alegria, o contentamento, o orgasmo quase perfeito.

Sentimentos estão aí para serem sentidos e se, uma hora teu coração foi arrebentado, chegará a hora que ele será consertado, se alguém decepcionou, outro alguém vai te surpreender. Não perca a oportunidade viver isso, porque é humano, salutar e muito gostoso… Viver sentimentos e emoções é vida!

E viva a sociedade das Mulheres Gavião!

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Sobre Lucia Mathias

Sou um ser humano multifacetado. Pra me conhecer, tem que estar disposto, a conviver com um monte de mulheres em uma só. Hora furacão, hora bonança, hora o próprio cão, hora criança. Sou eu... pra saber mais... ah! Vai ter que descobrir.

Últimos Posts Por Lucia Mathias

CATEGORIA

Textos