Feras de Lugar Nenhum

“Tudo isso me faz ficar com vontade de pegar o fogo lá de fora e engolir o fogo para me queimar por dentro e me deixar como uma concha vazia.” – Agu. Assisti a um tempo atrás o primeiro filme oficial da NETFLIX, intitulado como “Beasts of Nation” e achei um puta filme foda, com […]

“Tudo isso me faz ficar com vontade de pegar o fogo lá de fora e engolir o fogo para me queimar por dentro e me deixar como uma concha vazia.” – Agu.

Assisti a um tempo atrás o primeiro filme oficial da NETFLIX, intitulado como “Beasts of Nation” e achei um puta filme foda, com uma história que prende a atenção, e que faz você sentir na pele o que o menino Agu está passando. E após assistir ao filme, fiquei com ele na cabeça por um bom tempo, é o tipo de história que faz repensar realmente sobre coisas da vida, e acabei descobrindo que o filme foi baseado em um livro “Feras de Lugar Nenhum”, de um escritor chamado Uzodinma Iweala que o publicou o livro com 23 anos de idade, como gosto de escrever e tento sempre fazer passar a emoção, o sentimento para quem ler, poder assim sentir o que está acontecendo, fiquei louco para ler o livro, e o encontrei, então comprei e devorei ele em um leitura espetacular;

O livro retrata a história de um garoto chamado Agu, que passa por toda violência que uma guerra civil pode proporcionar, a narrativa toda é na visão do garoto, ele perde o pai de forma violenta, a aldeia, e a vida que tinha, a mãe e sua irmã conseguem fugir porem ele não sabe se elas estão vivas ou não, ele se torna uma criança-soldado e que tem medo de morrer, é tudo duro, cruel e violento.

Recomendo muito, mais muito muito mesmo quem puder ler/assistir, é um livro que o fará acordar para algumas coisas, te dará aquele choque de realidade que precisamos na vida, e é um livro pequeno e curto tem menos de 200 páginas, mas que não tem como ler e ficar imune a violência e ao terror que emerge da história.

Bom e quando acabei de ler “Feras de lugar nenhum”, e me vi pesado com o último trecho do livro;

‘‘Então digo a ela, se eu contar todas as coisas que fiz, você vai pensar que eu sou uma espécie de fera ou diabo. […] E digo a ela, tudo bem. Sou todas essas coisas. Sou todas essas coisas, mas uma vez já tive uma mãe, e ela me amava.’’ – Agu

Você percebe que é tudo feio, sem esperança mesmo, e o pior é real e está acontecendo por ai, nesse momento que estou escrevendo.

Anúncios

Autor: Thiago D.

Minha maior arte é a forma que eu vejo o mundo e as coisas que acontecem ao meu redor, tenho uma empatia muito grande, entendo como as coisas estão acontecendo ou devem acontecer e isso ajuda na minha percepção para fazer sistemas, estruturar raciocínios lógicos e a construir textos, contos e afins. Busco colocar em palavras os mais diversos sentimentos e sensações, o que escrevo não é autobiográfico, eu chamo de usar a vida como matéria prima. Meu jeito de escrever é esse, e se me perguntarem isso é ficção? Ou não é ficção? – Está no papel(no caso, tá no blog), aconteceu ou não, é ficção.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s