julho 20, 2017

Uma irrelevância

Ontem lembrei do teu sorriso.

Colar branco de marfim raro, meu paraíso

Que se escondia nos lábios escarlata

Que voltava a aparecer só pra me deixar sem graça

 

Mas me vi de novo envolvida na solidão

Da falta que você me faz

Quartos vazios, vazio também o porão

Sem tuas coisas, sem tua fala tenaz

 

Passam-se os anos, passam-se as luas

e você continua em mim…

Teu cheiro, o gosto do teu beijo

O azul do teu vestido, Tuas carnes nuas

 

Mudam os cenários e de que adianta?

Se o coração é o mesmo,

Se a mente não esquece,

se te levo comigo onde quer que ande

 

O que daria por sentir novamente teu beijo?

Teus braços me envolvendo em um dia feliz?

Sentir o cheiro do teu perfume e do teu cabelo?

Ver você passando batom frente ao espelho?

 

Daria o resto dos meus dias…

Sei lá, uma poesia num papel de pão.

A letra de uma famosa canção.

Uma dose acertada de minhas melancolias…

 

Vida que segue sem freio

E sem você parece que ficou mais difícil o caminho

Difícil de trilhar sem uma dose de vinho.

Sem teu carinho, teus conselhos.

 

Como diz a linda canção…

realmente a vida é uma bobagem, uma irrelevância

e só nos damos conta disso quando

nossa vida vai embora e temos que continuar vivendo.

 

O que daria pra te ver de novo?

Meu coração quase morto

minha mente cansada de ficar aqui…

todos os meus dias,

só pra ver, de novo, você sorrir.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Sobre Lucia Mathias

Sou um ser humano multifacetado. Pra me conhecer, tem que estar disposto, a conviver com um monte de mulheres em uma só. Hora furacão, hora bonança, hora o próprio cão, hora criança. Sou eu... pra saber mais... ah! Vai ter que descobrir.

Últimos Posts Por Lucia Mathias

CATEGORIA

Poemas