“Por vezes as pessoas não querem ouvir a verdade, porque não querem que suas ilusões sejam destruídas” … \o/

Me dê uma dose de álcool, leia, diga um montão de palavras, não use drogas, faça gestos, não se esqueça siga uma religião, use, me envie lembretes, gaste, viva e lembre daquele sussurro lhe dizendo o que fazer, aquele nome que lhe faz lembrar alguém, pense naquelas pessoas que lhe dizem um alô, ou talvez um “como vai você”… Blábláblá.

Real ou não ? tal pode ser um amigo, irmão, que seja um colega, marido ou mulher.

Mas e se nada disso for real e verdadeiro ? És um clichê, criado e usado por vós, dia após dia nesse ciclo infinito e previsível que segue nossas vidas, pois é algo tão óbvio, que não fará diferença.

E sempre será assim pois é mais fácil lidar com uma má consciência, do que com uma má reputação.

só aprendemos quando nos convém !

 

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Sobre Thiago D.

Minha maior arte é a forma que eu vejo o mundo e as coisas que acontecem ao meu redor, tenho uma empatia muito grande, entendo como as coisas estão acontecendo ou devem acontecer e isso ajuda na minha percepção para fazer sistemas, estruturar raciocínios lógicos e a construir textos, contos e afins. Busco colocar em palavras os mais diversos sentimentos e sensações, o que escrevo não é autobiográfico, eu chamo de usar a vida como matéria prima. Meu jeito de escrever é esse, e se me perguntarem isso é ficção? Ou não é ficção? – Está no papel(no caso, tá no blog), aconteceu ou não, é ficção.

CATEGORIA

Crônicas