Universo particular em desencanto

Eu era uma criança quando você se foi

As noites foram longas e escuras

As celebrações converteram-se em funerais

 

Uma muralha ergueu-se entre nós

A distância era de algumas quadras

Uma linha invisível chamada esforço nos separava

 

Você me devastou gratuitamente

Tirou o melhor de mim e substituiu por uma dor latente

Arrancou o amor próprio que eu deveria ter

Fez com que eu me odiasse, e desprezasse os meus dias

Instituiu em mim a dúvida do meu valor a cada segundo.

 

Eu te quis, te desejei tanto, que perdia uma parte de mim a cada dia

Te procurei tanto, com tanta persistência e fervor que me olvidei

Acabei abandonado dentro do complexo labirinto que se tornou meu coração

 

Acredita que meu sonho era ter uma recordação com você?

Olhar os porta-retratos e encontrar uma foto sua comigo

Dividir laços inquebráveis e reais de paternidade

Escutar a sua voz ao adormecer

Alguns sonhos não se realizam

Algumas fotos tornam-se miragens que passamos a vida inteira a perseguir

Quando encontramos o fruto de nossa obsessão, ele é só um monte de areia.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: