Textos

Adeus Amigo

Suas últimas palavras me consumiram

Foi como uma luz que de repente desceu dos céus e me engoliu

Mas nem tudo que a luz toca traz paz

Suas palavras foram como luz, mas como uma vinda direta do sol

Forte e quente, capaz de queimar minha alma

 

Suas palavras tiveram o mesmo efeito do sol sobre a plantação

Um pouco de luz solar faz a planta cresce

O excesso de luz, faz as folhas queimarem

A desafinada melodia de suas torpes e insensatas palavras queimaram todo o solo

 

Antes existia esperança de que o tempo curaria tudo

A cura viria, assim dizia minha mente a cada badalada do relógio

Mas a amargura envenenou o solo

Como chorume, suas tiranas palavras escorreram pelas fendas e encontraram a fonte da boa água

O lençol freático foi contaminado, e tudo que dele flui é podre

 

A amizade é uma faca de dois gumes.

Uma face da lâmina traz a paz e o amor

No outro lado há desilusão e ressentimento

Hoje, me cortei com o outro lado.

 

Anúncios

Sou um mero aspirante a poeta, filosofo e escritor. Tenho 21 anos e moro na cidade do Gama. Costumo dizer que não domino o "segredo" da exímia escrita, mas vivo para escrever, e escrevo para viver. Torno cada palavra escrita e dita um motivo para acordar, um sonho para realizar e como força para respirar. Não escrevo um só gênero, porque acho que ainda não encontrei um que me defina, ou nunca encontrarei, talvez no final eu seja um transeunte entre gêneros, cujo o objetivo seja transmitir uma mensagem, seja ela, escrita ou falada.

0 comentário em “Adeus Amigo

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: