O culto à masculinidade

Gosto de refletir, quem acompanha meus textos já percebeu isso.

E dessa vez quero falar sobre um assunto que vêem me incomodando faz um tempo, mas gostaria de falar dele quando tivesse uma opinião formada, uma clareza de ideias, não que seja absoluta a minha verdade e ou meus pensamentos, longe disso. Quero falar com vocês sobre masculinidade e como ela vêem erroneamente sendo ensinada as pessoas, em como essa masculinidade tóxica que aprendemos e passamos de geração em geração vêem causando efeitos colaterais em nossa sociedade.

Bom, hoje o texto vai ser longo, pesado e muito reflexivo, então se estiver disposto: embarque nessa viagem e vamos pensar.

Primeiro quero deixar claro, que a crítica desse texto é sobre como nós homens estamos nos prejudicando e prejudicando outras pessoas, por acharmos que masculinidade é uma dessas coisas abaixo:

“homem não chora”, “homem tem que ser forte”, “homem não deve falar sobre sentimentos”, Macho de verdade quer sexo sempre que possível, nunca nega uma trepada. Se não transa, é um bosta. Agrada mulheres para no final das contas, transar.

E se fosse possível ter sexo à vontade sem um relacionamento estável e comprometido, soltaria fogos. Macho de verdade não entende sinais, não pode entender isso de emoções também, pois tem que deixar essas coisas para as mulheres.

É agressivo e usa a força com quem ultrapassa seus limites, que devem ser sempre entendidos e respeitados, mas nunca esse homem respeita os limites dos outros e diz que é controlado, mas no final é impulsivo quando ofendido. Tem que ser ambicioso, desdenha de quem não deseja mais da vida, fora que despreza comportamentos que indiquem fraqueza, vindos de outros homens. Pois a fraqueza de mulheres já é esperada, e ele mesmo agir assim? isso é totalmente intolerável.

Sabe masculinidade e feminilidade, até certo ponto, são cultuadas, ora mais para uns, ora mais para outros. Desde primórdios sabemos que os homens e mulheres deveriam restringir-se ao seu papel social de acordo com a sua identidade biológica, de macho e fêmea, e por isso, sua escolha afetiva e sexual deveria voltar-se para o sexo oposto ao seu. E a norma desviante desse padrão era totalmente repelida e punida.

Mas hoje sabemos que isso não é o que ocorre de fato, tivemos algumas revoluções nos últimos séculos e algumas foram satisfatórias e que fizeram com que a sociedade tivesse uma aceitação maior de homossexuais e bissexuais, ainda que exista preconceitos contra esses grupos, a sociedade caminha para que esses preceitos não sejam algo normal e tolerável. Assim como sabemos que movimentos feministas causaram grande impactos fazendo com que a mulher tenha um papel social mais participativo em todas as áreas, com direitos iguais aos homens e isso, meus amigos, é demais.

A luta delas ainda é árdua, pois existe muito machismo e com esses avanços, a masculinidade toxica foi crescendo, e os homens foram criando mais barreiras para não se parecerem com os esteriótipos femininos, então na mente desses machões para ser homem você tem que ter culhões, seu orgulho nunca pode ser quebrado, fora que uma vez dito algo, jamais poderá voltar atrás sobre o que foi dito, assim colocando muitas vezes sua parceira em situações abusivas, e não se esqueça que homem não chora não, você é homem ou não é ?

Os homens cresceram ouvindo que demostrar qualquer coisa faz dele menos homem, que ser sentimental é coisa de mulher, que qualquer coisinha e eles ficam parecidos com uma mulherzinha, sendo que não tem nada de errado em ser uma mulher e muito menos em demostrar sentimentos.

Vi e ouvi essas coisas minha vida inteira, vejo até hoje e sendo homem sempre digo que homem não tem que seguir nada disso, homem é gente, homem é humano, homem tem sentimentos sim, pode chorar sim, pode fazer o que quiser, desde que não prejudique outras pessoas. Sabe não afeta sua masculinidade falar sobre os sentimentos, você não tem que provar nada para ninguém, não tem que pegar trinta mulheres numa noite para falar que é macho, não tem que assediar ninguém para depois contar para os amigos, não tem que tratar mulher como se fosse descartável ou lixo, não tem !

Sua virilidade não é o que vai definir se você é homem ou não, acho que somos todos mais frágeis do que demonstramos, mas ai você é pilhado e bombardeado por esse machismo desde cedo, isso afeta os homens com toda certeza, por isso vemos homens achando que mulher é inferior, que mulher só é pra pegar e descartar, que mulher é isso e aquilo… é difícil tomar consciência de que esse pensamento é errado, de que esse comportamento hediondo e machista é injusto para dizer o mínimo, é complicado entender isso sendo que tudo que você escutou desde pequeno era que isso é uma verdade absoluta sabe ?

E então os caras se reprimem, não falam sobre seus sentimentos, sobre suas tristezas, pensam que precisam ganhar dinheiro para sustentar suas famílias se não nunca estarão fazendo seu papel de homens na sociedade, que são uns bostas, tem muitos caras que estão sofrendo por aí com seus psicológicos arruinados, e não é por acaso que a taxa de suicídios entre homens é muito maior do que em mulheres, homens não estão falando sobre seus traumas, sobre suas tristezas, sobre as coisas que os deixa efêmeros, homens não estão liberando a pressão social que carregam nos ombros e isso está causando consequenciais terríveis sobe eles.

Precisamos efetivamente mostrar que homens também são gente, que também podem ser seres humanos e ensinar desde cedo para a nova geração que eles não são feras de pau duro que caminham.

Suas competições de quem tem o carro melhor, a mulher mais gata do lado, ou quem ostenta mais do que o outro, vemos os machões tentando mostrar sua virilidade com quantos filhos conseguiram ter e falando somente sobre seus paus ou quantas vão pegar e ou pegaram… Homem é ensinado assim, desde pequeno, nas rodas de amigos, é o que vemos em filmes, séries e novelas, a maneira como a imagem do homem é construída, que é passada.

Sabe até quando uma tia ou um parente próximo vê o moleque e já fala bem assim:

Esse aí vai comer todas as menininhas… Mas quando esse mesmo menino se machuca à primeira coisa que falam para o garoto é:

Não pode chorar, segura esse choro menino, você é homem ou não é ?

Essas coisas influenciam na criação da criança, e o garoto cresce achando que masculinidade é isso, se torna adolescente com esse monte de merda na cabeça e se não tiver pegando ninguém acha que tem algo errado consigo, pois na roda de amiguinhos só o que falam é de como a fulana tem um rabo grande ou como os peitões da outra são maravilhosos.

E esses adolescentes crescem mais e se tornam adultos, e ai vemos o que acontece hoje em dia, mulheres sendo assediadas em transportes públicos, na rua, no trabalho e até em suas casas, fora na vizinhança. Deixamos o mundo hostil para elas de um jeito que existe até uma palavra para o crime que causamos diretamente a elas: feminicídio.

1 a 1 a a a est nao mulheres a temer.png

Ficamos tão machistas que alguns pensam que é certo aquele ditado que lugar de mulher é esquentando a barriga no fogão e esfriando no tanquinho, e que pensam que ser macho é dar cantada em mulher na rua, que é bonito ficar assediando as garotas no ônibus ou no trem, que é legal tratar à colega de trabalho um pouco melhor por ela ser mulher e quem sabe possa comer ela depois.

Sabe esse texto é para aqueles que esperam a garota passar para falar algo no ouvido dela, é para os babacas que gritam de seus carros coisas do tipo OLHA QUE SAÚDE, O LÁ EM CASA, QUER UMA CARONA? COISA LINDA. GOSTOSA SE EU TE PEGO TE QUEBRO NO MEIO, entendam que esse texto é para mostrar a essa sociedade machista, que acha que masculinidade é ser superior, esse texto é para mostrar que o machismo já deu, que isso é errado, é coisa para ficar no passado, esse texto é para conscientizar as pessoas e a sociedade de que em uma pesquisa no datafolha em 2015 mostrava que 74% dos entrevistados que afirmaram que já foram assediados eram mulheres e que dessas 39% dizem que foram assediadas na rua, em uma outra pesquisa no mesmo ano de 2015, ao todo, 77% das entrevistadas afirmaram que foram vítimas de algum abuso físico sexual e 10% desses crimes ocorreram dentro de casa. As jovens foram abusadas por irmãos, pais ou parentes próximos.

Você consegue entender o quão hediondo isso é? o quão repugnante essa porra está se tornando?

Já em 2016 em uma nova pesquisa esse número aumentou para 86% das mulheres brasileiras que sofreram assédio em público e o Brasil registrou, nos dez primeiros meses do ano de 2016, 63.090 denúncias de violência contra a mulher, isso sem contar muitas que não contam o que estão passando e não entram nas estatísticas e somente com os dados da pesquisa de 2013 o brasil já entra na lista do quinto pais mais violento contra as mulheres.

E isso não é por acaso, é por conta da forma que criamos e deixamos cultural essa masculinidade tóxica, toda essa baboseira que homem pode e mulher não, que homem é superior e coisas do tipo. Mas sabe isso não quer dizer nada se não fizermos diferente, se você que está lendo tem um filho, o ensine diferente, não de exemplos de que ele possa se espelhar mesmo que inconscientemente, não deixe que o machismo seja natural para ele.

E se você for homem, pense à respeito do que você faz ou deixar de fazer achando que vai afetar sua masculinidade.

Tudo isso é foda para caralho, eu sou um cara que reflete muito sobre isso: masculinidade, sobre machismo e sobre como a cultura que vivemos, a criação que temos vai nós influenciando sabe? Claro que não determina quem você vai ser, mas influência.

E se você não parar para pensar sobre essas coisas, você vai fazendo e achando que é normal, que é natural e quando vê se tornou um boçal, que faz mal para as pessoas ao seu redor e achando que tudo que importa é você ser o durão, o macho alfa e o restante que se foda e te sirva, e isso tudo é bullshit, o máximo que você vai ser é um babaca.

Sou homem, tenho minha masculinidade e sou heterossexual, mas quando estou numa roda cheia de caras, as vezes tenho nojo deles, sabe a maioria não vê mulher como uma pessoa, como alguém que tem sentimentos, só vê como objeto mesmo, tratam como se fossem lixo, acho ridículo. Sabe as coisas que falam, que se vangloriam de terem feito, é  tão raso, são pessoas sem caráter, é patético, chegam e batem palma, disputam quem comeu ou pegou mais e não sei o que, com a maior naturalidade do mundo, para eles realmente isso é normal e é por isso que vejo bem com quem fazer amizade, somente porque não suporto essas coisas, esse tipo de pessoa !

Falar de mulher todos falamos, não estou querendo dizer que isso é errado, os puritanos que se fodam, ambos machos ou fêmeas falam sobre de quem gostaram ou tiveram atração, com quem sairão, se pegaram ou enfim… foda-se, o que estou querendo dizer é quando pessoas são apenas objetos umas para outras, e sei que para os machões que tem essa masculinidade toxica e que precisam se provar o tempo inteiro as garotas não passam disso: Sexo.

E se você é um desses e está lendo, digo para você que não adianta você comer uma loirinha, morena ou uma ruivinha, e discutir sobre qual delas gozou melhor com seu pau e ou qual era mais habilidosa em um blowjob, isso não vai te fazer mais homem, mais masculino ou menos afeminado. Isso só quer dizer que você teve uma transa muito boa.

Eu cresci ouvindo e vendo coisas machistas minha vida toda, por um tempo da minha infância e adolescência achei até que era normal, mas com o tempo fui vendo o quão horrível isso era, o quão errado eu também estava e que não queria ser mais um babaca no mundo, pois esse mundo está lotado deles já !

Eu choro, eu demostro meu amor pelos meus amigos, sim até os homens! Pela família e não tenho vergonha disso… sei que sou homem, tenho minha masculinidade e sei do que gosto e não é uma demonstração do meu afeto que vai mudar isso !

Mas todos somos mais frágeis do que demonstramos lembra ?

Então a maioria dos caras precisam de auto-confirmação, precisam se provar… e sua maior fragilidade está em não conseguirem demostrar, em se privarem de ser pessoas e terem relações afetivas verdadeiras com os outros, em pensarem que não podem porque se não vão ser viadinhos… e tá aí outra coisa que acontece para machões se acharem no direito de serem idiotas, babacas e ou brucutus; para não se parecer viado, bicha ou qualquer uma dessas palavras que eles amam usar para dizer que o cara é homossexual, afeminado, ou algo do tipo.

Como se por eles serem homossexuais fizessem deles menos do que outras pessoas, essa correlação que acontece é complicada demais, essa homofobia generalizada, esse preconceito que misturado com o machismo se potencializa e faz da masculinidade tudo que ela não deveria ser, como as características abaixo:

  • agressividade excessiva
  • medo de ser gay
  • medo de ser fraco
  • medo de ser feminino
  • busca por ser percebido como altamente sexual
  • fechamento emocional (evitar vulnerabilidade)
  • obsessividade com poder e dinheiro (expressadas de modo comum em relações auto-destrutivas com o trabalho)

O uso da palavra “medo”,  está relacionado ao motivo para usarmos como xingamento constante o fato de alguém ser gay, fraco ou feminino.

Odiamos aquilo que de algum modo tememos – seja por medo do contágio ou da identificação com o outro Jose Léon Crochik comenta sobre, em seu livro Preconceito, indivíduo e cultura.

Existe até mesmo o absurdo argumento de defesa “gay panic” (pânico de gays), que pode ser usado nos tribunais dos EUA para atenuar as penas em casos de assassinato. A “gay panic defense” diz que avanços indesejáveis de homossexuais podem levar a “violenta insanidade temporária”.

Essa construção de identidade baseada no medo é explicada na imagem a seguir:

conflitos.png
A imagem foi originalmente concebida pelo professor, psicólogo e pesquisador Jim O’Neil [ http://jimoneil.uconn.edu/ ]. A versão acima foi apenas traduzida por http://www.geledes.org.br.

Nesse contexto alguns clichês aparecem e não é atoa demostramos nossa força a todo instante, no auge de nossa capacidade de machões.

nos dividimos em quatro partes:

Os musculosos: malham, brigam, exibem os bicéps e tricéps.

Os inteligentes: articulam, comandam, estudam, dominam temas complexos e exibem seu conhecimento.

Os bons em games: acumulam mortes, pontos, rankings, medalhas e os exibem nas comunidades online, notórias pela presença massiva de outros homens.

Os ricos: gastam, acumulam, vivem experiências de riqueza, se gabam sobre como o que importa não é o que você tem, mas o que você é, e em seguida ostentam o que possuem.

O ponto é ressaltar o narcisismo tão comum a nós. Sabe esse desmedido senso de auto-importância, talvez só equivalente ao pânico de sermos desimportantes, fracassados e ou fracotes.

E esse tipo de esteriótipos prendem nós homens ao que é conhecido como “The Man Box”  que significa em uma tradução livre “A Caixa do Homem”:

The Man Box.001.jpeg

Com uma pequena analise da caixa do homem, você consegue perceber que o resultado dela são homens com emocionalidade restrita, sufocados, que acabam por adoecer e morrer, ou se autodestruir mais cedo.

Para se ter uma ideia, no Brasil, a expectativa de vida de homens está sete anos abaixo das mulheres.

Muitos homens ao redor do mundo sofrem de “Alexitimia”, uma condição caracterizada pela dificuldade em identificar e expressar os próprios sentimentos. Há pessoas que se sentem confortáveis sendo desse modo, mas outras tantas, não.

É como se homens passassem tanto tempo temendo se associar a qualquer coisa vista como emocional demais – ou seja, supostamente “mulherzinha demais” – que, quando precisamos dessa habilidade, nem sabemos como usar. E não por má vontade, mas pela mais pura e simples falta de treino.

No ápice, quando o homem se vê em um limite, isso leva à depressão, até mesmo ao suicídio.

Essa masculinidade que vivemos, aprendemos e repassamos é toxica, faz com que busquemos a todo momento provar que somos machos, fiquemos com tendencias a violencia, nós fechamos emocionalmente e nos tornamos homofobicos, fora nossa obsessão por dinheiro, mulheres e poder.

Ao meu ver precisamos eliminar e combater essa ignorância, essa irracionalidade que temos, e começar a pensar a respeito do que fazemos, de nossas atitudes como homens, não importando se é negro,branco, pardo, deficiente ou não. Com isso vamos fazer do mundo um lugar melhor, iremos passar a ensinar nossas crianças que masculinidade não tem nada ver com gênero ou orientação sexual, mostraremos que somos todos humanos complexos, nada é tão simples quanto parece e a vida vai nós ensinando isso.

E não significa que devemos proibir homens de expressarem sua agressividade ou sexualidade, existe à personalidade das pessoas também, mas repense ou reflita ao menos uma vez o porque você é do jeito que é.

Não quero com meu texto obrigar ninguém a sair falando dos sentimentos ao acordar.

Não quero que você mude o que você é, quero que pense e reflita a respeito do que você está se tornando, do que você está repassando para outros, de como suas atitudes vêem afetando você e as pessoas ao seu redor.

Atacar a masculinidade tóxica é buscar liberdade para todos, é deixar enfim a vida mais leve.

É permitir as pessoas escolherem sobre como desejam ser, sem que isso coloque em risco o quão homem ou mulheres elas são.

E para finalizar quero deixar aqui alguns termos e seus significados, para que vocês machos entendam que algumas de suas atitudes podem ser até crimes:

Assédio verbal
Palavras desagradáveis, ameaças ou cantadas sem consentimento de ambas as partes. É uma contravenção penal e o autor pode ser multado.

Ato obsceno
Ação de cunho sexual em local público a fim de constranger ou ameaçar alguém. É crime.

Assédio sexual
Constrangimento ou ameaça para obter favores sexuais feito por alguém de posição superior à vítima. É crime.

Estupro
Obrigar alguém, ou tentar perante violência ou ameaça, a ter relações sexuais ou a praticar outro ato libidinoso. É crime.

Bom vou deixar aqui as fontes da pesquisa realizada, que apontam dados e afirmam argumentos mostrados no texto acima e alguns podcast com depoimentos para que possam ouvir:

 

https://www.papodehomem.com.br/os-homens-estao-morrendo-porque-nao-conseguem-falar

https://www.geledes.org.br/masculinidade-toxica-comportamentos-que-matam-os-homens/

2013
https://economia.uol.com.br/empregos-e-carreiras/noticias/redacao/2013/03/08/52-das-mulheres-ja-sofreram-assedio-no-trabalho-falta-de-provas-dificulta-condenacoes.htm

2015:

http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/brasil/2015/06/02/internas_polbraeco,485270/pesquisa-revela-que-77-das-mulheres-foram-assediadas-sexualmente.shtml

http://g1.globo.com/hora1/noticia/2015/05/pesquisa-revela-que-77-das-mulheres-ja-foram-vitimas-de-assedio-sexual.html

data folha 2015:
http://www1.folha.uol.com.br/saopaulo/2015/11/1703472-mulheres-sofrem-mais-assedio-no-transporte-publico-segundo-datafolha.shtml

2016
http://agenciabrasil.ebc.com.br/direitos-humanos/noticia/2016-05/pesquisa-mostra-que-86-das-mulheres-brasileiras-sofreram-assedio-em

http://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,brasil-tem-1-denuncia-de-violencia-contra-a-mulher-a-cada-7-minutos,10000019981

VIDEO SOBRE com estatisticas 2016:

http://noticias.r7.com/jornal-da-record/videos/estatisticas-revelam-nove-entre-dez-mulheres-sofrem-assedio-sexual-no-brasil-20052016

http://agenciabrasil.ebc.com.br/direitos-humanos/noticia/2016-05/pesquisa-mostra-que-86-das-mulheres-brasileiras-sofreram-assedio-em

DENÚNCIAS
O Ligue 180 foi criado pela Secretaria de Políticas para as Mulheres para servir de canal direto de orientação sobre direitos e serviços públicos para a população feminina em todo o país.
A ligação é gratuita e a principal porta de acesso aos serviços que integram a Rede Nacional de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, sob amparo da Lei Maria da Penha, além de ser uma base de dados privilegiada para a formulação das políticas do Governo Federal nessa área.

 

Anúncios

29 comentários em “O culto à masculinidade

Adicione o seu

  1. Muito rico esse texto!Embora dá pra se notar uma mudança no comportamento de uma certa parcela dos homens,e preciso concordar que há vários tipo de violência tanto física,psicológica,verbal que muitas mulheres são submetidas.Na minha família eu .tenho a experiência dos meus irmãos que cresceram ajudando nas tarefas domestica-se sempre foram carinhosos,não ligando muito por essa masculinidade imposta pela sociedade.Tudo depende da boa educação e dos princípios morais.

    Curtir

  2. É bem interessante olharmos os comportamentos sociais como construções. E nas falhas dessas construções é que habitam a potência do novo. O vir a ser outro que não a cristalização dos padrões sociais. É, ao mesmo tempo, triste e curioso constatar que de forma diferente a maior parte das culturas desenvolveu algum tipo de sistema de dominância de homens sobre mulheres. Mesmo em sociedades aparentemente liberais como a grega e a romana (a questão da sexualidade entre pessoas do mesmo sexo não era o tabu que é hoje em nossa sociedade, por exemplo, mas as mulheres eram vistas como seres desprovidas de razão). Curiosamente, constroem o conceito de masculinidade no ocidente atual um conjunto de valores muitas vezes ligados à destruição (força, agressividade, etc.). E há também o fato de o homem ser visto em nossa sociedade como o sujeito desejante, enquanto à mulher se relega a posição de objeto.
    Enfim, foram reflexões que fui colhendo enquanto lia o seu texto. As questões e consequências estão muito bem apontadas aqui. A forma de mudar isso é que permanece um grande desafio. Inda mais em tempos como os de hoje, que vemos uma luta constante para se reafirmar a suposta natureza feminina e masculina, com uma certa reação histriônica a qualquer tentativa de se discutir esses conceitos… Mas é preciso afirmá-los. Em ação, sobretudo. Mas também em palavras. E por meio de palavras, gostei demais do texto, rico em dado e em pontos de fuga e reflexão…
    Abraços!

    Curtir

  3. Oi Thiago. Preciso confessar que decidi ler esse texto com medo. Medo dos absurdos que poderia ler. Mas como fui burra, por já conhecer seus textos, deveria saber que viria alguma coisa boa por aí. Mas foi uma coisa maravilhosa mesmo. Ontem eu estava conversando com umas amigas sobre os modos de criação de homens e mulheres. Como desde cedo somos condicionados a certos comportamentos. Mulheres são ensinadas a reprimirem várias coisas, enquanto os homens podem explorar tudo o que querem. Temos tanto ditados que demonstram isso, né?! “Prendam suas cabras, porque meu bode está solto”. Ué, por que não ensinar o menino a respeitar? Isso sempre me deixa muito indignada. Não venho de uma família machista, até porque só temos meu pai e dois tios e o resto é tuuuudo mulher, então aí deles haha. Meu marido sabe muito das coisas que penso e ele mesmo me “defende” de alguns comentários. Por exemplo, eu amo ler e sou apaixonada pelos personagens. Um dia um amigo perguntou se ele deixava eu amar outros homens. Sério! Olha esse absurdo. Meu marido só falou: deixo, porque no fim do dia, é comigo que ela dorme e bem, eles não existem, né?!
    Mulher sofre. Mas homem também. O problema é que são sofrimentos diferentes. Mas acho que a “tortura psicológica” masculina é algo que precisa ser debatido. Graças a Deus, sei que meu filho vai ser criado diferente.
    Parabéns Thiago. Que muitos leem esse texto e reflita. Beijos
    https://almde50tons.wordpress.com

    Curtido por 1 pessoa

  4. Nossa, texto pesadão, mas completamente necessário. Trabalho em uma Delegacia e sei q expressar a masculinidade é uma forma complexa: o homem se vê impelido a isso, por pressão social, ao mesmo tempo q dela tem q se controlar, pois a masculinidade pode debandeirar muito rápido ao machismo, violência doméstica, agressão…

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: