Textos

O Teatro das Marionetes de Carne

    Eu me pergunto… As pessoas não se cansam desse teatro? Como Schopenhauer, eu já estou exausto. Não consigo levar mais nada a sério. Quando vejo algum zumbi reclamando sobre qualquer coisa, sua moral, seus valores politicos-sociais-religiosos de merda, eu só penso em dizer “tudo bem, cara, você já pode sair do personagem e descer do palco agora”.
Mas eles não vêem o palco, os zumbis. Para eles, essa é a vida real: Trabalho, família, jogos de sedução e influência que não passam de batalhas de egos. Não existe verdade única ou um lado certo. Existem apenas lados, grupos e só. Você escolhe um deles, memoriza suas falas e espera pela sua deixa no holofote. Não importa qual grupo você escolhe, tudo o que importa é fazer um bom trabalho interpretando seu personagem para que sua equipe sinta orgulho de você e o espetáculo possa continuar rolando por que o show tem que continuar.
Eu? Bom, eu prefiro ser parte da plateia. Assistir os zumbis de longe para não ser mordido ou infectado. Prefiro ser um observador. Não me leve a mal, eu sei atuar, eu só escolhi não subir no palco. Parece algo razoável para mim, eu não veria sentido na raiva que desperto nos zumbis quando falo isso a eles, mas aí eu lembro que zumbis são um vírus e andam em hordas, programado para aumentar seus números e aí faz sentido.
Eu me sinto estranho falando da vida como sendo uma peça, ou como um jogo, um FPS onde minha mente é um jogador que controla meu corpo-personagem por que me sinto como aqueles ultraspirituals que dizem que nossos corpos são apenas veículos temporários para nossa alma imortal e eu sei que isso é besteira. Não é isso que estou dizendo. Eu não acredito que sejamos almas evoluídas jogando The Sims com marionetes de carne. Nós somos as marionetes de carne. Marionetes de carne que desenvolveram consciência de suas cordas e decidiram que queriam ser mais do que bonecos. Infelizmente, sendo apenas personagens, nós não temos o poder para fazer isso.
Eu acho que é por isso que existem tantos bonecos desesperados para encontrar o programador do jogo e implorar por uma atualização ou um pacote de expansão com um cenário melhor, talvez um com asas e nuvens e harpas. Infelizmente para esses personagens eu acho que o filho da puta tá AFK ou morreu do coração em cima de uma pilha de latas de energético vazias e um balde cheio da própria merda.

Anúncios

Conatus: Substantivo. Latim para esforço; impulso, inclinação, tendência; cometimento. É um termo usado em filosofias de psicologia e metafísica para se referir a uma inclinação inata de uma coisa para continuar a existir e se aprimorar. Outros autores a chamaram de Vontade, Desejo, Pulsão, Elan Vital, a essência inconsciente que dirige suas ações para satisfazê-la quer você queira ou não. David Conatus, no entanto, não é um substantivo. É um verbo, uma ação, a ação de exorcizar em palavras minha visão da existência e do mundo, e de talvez conseguir um pouco de paz ao fazer isso. Já quanto a paz de vocês, leitores, isso eu não posso garantir. Prossigam por sua conta e risco.

0 comentário em “O Teatro das Marionetes de Carne

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: