Textos

Escravo da promiscuidade

Seus longos dedos descem por meu corpo

Sua língua percorre meu peito

Os toques despertam arrepios

Tremeliques involuntários

Como um sino meus músculos badalam

 

Cada suspiro é uma pegada no céu

O suor escorre pela minha testa

Os gemidos aumentam

Seus dedos penetram minha boca

Me fazendo ainda mais delirar

Imploro que continue

Que me desperte o prazer

Que sacie a sedenta carne pecadora

Que do inferno estou disposto a experimentar

Se uma vez mais um gemido provocar

 

Aperta-me contra o seu corpo nu

Sintoniza o nosso prazer

Que nossos orgasmos sejam expelidos juntos

Que o gemido seja o hino da nossa união

 

Amanhã você irá embora

Com sua namorada voltar

Mas essa noite, e uma noite mais

Seu calor será meu

Seu músculos e mente estão sobre o meu domínio

O controle do prazer que exerço sobre você e você sobre mim

 

 

 

Promiscuo aceito ser

Dominador e dominado

Seu olho no meu

Seu coito sobre meu corpo nu

 

Amanhã você irá embora

Com sua namorada voltar

Mas essa noite, e uma noite mais

Suas fantasias são minhas

Cada perversão intensa que sonhar

Realizador me tornarei

Que sua ereção seja o combustível

Que o sangue que pulsa sobre sua calça minha motivação

Que as calças gastam nos joelhos sejam justificadas

 

 

Amanhã você irá embora

Com sua namorada voltar

Mas essa noite, e uma noite mais

A pulsação da sua calça está em sintonia com a minha

A ereção o galo que desperta o meu prazer

 

Amanhã você irá embora

Com sua namorada voltar

Mas essa noite, e uma noite mais

Serei escravo da minha libido

Meu tesão a dominatrix

Com seu chicote a acertar minha tenra carne

O inspirar e o expirar intenso convertido em um pedido de enclausuramento

Escravo e prisioneiro dos meus pecados mais intensos.

 

Amanhã você irá embora

Com sua namorada voltar

Mas essa noite, e uma noite mais

Estarei com você

Amanhã renegar-te-ei

Recobrarei a dignidade perdida

Farei promessas em vão

Direi que nunca mais serei seu

Que sua alma não me pertence

Amaldiçoarei o dia que te conheci

Com ressentimento e tesão lembrarei de você

Suplicarei para minha mente que te esqueças

Que abandone as lembranças e os desejos no limbo

E por fim serei vencido

E em teus braços novamente estarei

 

 

 

 

Anúncios

Sou um mero aspirante a poeta, filosofo e escritor. Tenho 21 anos e moro na cidade do Gama. Costumo dizer que não domino o "segredo" da exímia escrita, mas vivo para escrever, e escrevo para viver. Torno cada palavra escrita e dita um motivo para acordar, um sonho para realizar e como força para respirar. Não escrevo um só gênero, porque acho que ainda não encontrei um que me defina, ou nunca encontrarei, talvez no final eu seja um transeunte entre gêneros, cujo o objetivo seja transmitir uma mensagem, seja ela, escrita ou falada.

0 comentário em “Escravo da promiscuidade

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: