Meio Mundo – Mar Despedaçado II

Os tolos alardeiam o que vão fazer. Os heróis fazem.

Joe Abercrombie conseguiu criar um universo tão incrível com o Mar despedaçado que a imersão nesse segundo título supera o Meio Rei, é possível ler esse segundo título sem ler o primeiro, mas não recomendo.

Meio mundo é cheio de referencia ao primeiro livro e, é sim uma continuação  da trilogia mar despedaçado e com esse livro Joe aumenta o leque de possibilidades do universo de personagens da história como um todo.

Eu tinha 12 anos. Os gettlandeses chegaram antes do amanhecer. Pegaram a maioria dos moradores para escravizá-los. Minha mãe fugiu e a mataram. Tentei fugir e o líder deles me cortou com a espada. Me deixou para morrer, com nada mais do que essa cicatriz.
Ali estava a verdade, então, e era bem feia. Porém, havia no olhar de Fror que fez os pelos da nunca de Thorn se eriçarem. Sua voz falhou um pouco quando ela fez a pergunta:
– Quem era o líder?
– Eles o chamavam de Headland.
Thorn olhou para espada que estava usando. A espada que fora do seu pai.
– Foi esta espada, então?
– Os deuses preparam receitas estranhas.
– Mas você navegou com gettlandeses!
Lutou ao meu lado. Mesmo sabendo que eu era filha dele ?
– E fico feliz por isso. – Fror deu de ombros. – A vingança só anda em círculos. Ela parte do sangue e volta ao sangue. A morte espera por todos nós. Você pode seguir seu caminho curvada sob um fardo de raiva. Eu fiz isso durante muitos anos.
– Você pode deixar que a raiva a envenene.- Ele respirou fundo, depois soltou um suspiro. – Ou pode deixar pra lá. Fique bem, Thorn Bathu.
– Você também- murmurou ela, sem saber o que dizer. Sem saber o que pensar.

O foco desse segundo livro é a guerra que Gettland vai travar contra o Rei supremo, então pai Yarvi está em busca de aliados para lutar contra Meio mundo, e então seu destino se cruza com a jornada de Thorn Bathu que quer se tornar uma guerreira, mas as ocasiões a fazem ser uma assassina, com isso ela jura lealdade a Yarvi para não ser morta apedrejada e ele aceita e a usa em seus planos.

Outro personagem muito bem construído em Meio mundo é o Brand, um jovem que viveu sua vida toda trabalhando muito para cuidar de sua irmã, muito pobre como era sempre sonhou em ser guerreiro, mas quando ia se tornar um, percebeu que não queria aquilo, queria fazer o bem.

O chão o matou. Eu só apresentei os dois.

Um dos ápices do livro são os feitos de Thorn Bathu e Brand, contra os povos dos cavalos, ou no renegado e o divino, quando a corda do barco estoura e Brand realiza um feito que canções seriam feitas sobre aquilo e ou quando Thorn mata tantos homens que se torna lendária.

 

 

Anúncios

Autor: Thiago D.

Minha maior arte é a forma que eu vejo o mundo e as coisas que acontecem ao meu redor, tenho uma empatia muito grande, entendo como as coisas estão acontecendo ou devem acontecer e isso ajuda na minha percepção para fazer sistemas, estruturar raciocínios lógicos e a construir textos, contos e afins. Busco colocar em palavras os mais diversos sentimentos e sensações, o que escrevo não é autobiográfico, eu chamo de usar a vida como matéria prima. Meu jeito de escrever é esse, e se me perguntarem isso é ficção? Ou não é ficção? – Está no papel(no caso, tá no blog), aconteceu ou não, é ficção.

Uma consideração sobre “Meio Mundo – Mar Despedaçado II”

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s