Textos

Dia nacional do livro

Lembro da primeira vez que tive contato com um livro que realmente me fez gostar da leitura, que me fez ler sem parar, lia andando no caminho para o trabalho, lia em pé no ônibus, no trem, na rua, eu mergulhei naquela história e só queria saber o quê aconteceria logo em seguida, uma página depois da outra e, eu tinha uns quinze ou dezesseis anos.

P_20171029_123153_vHDR_On_1.jpg

Uma grande amiga me emprestou O reverso da medalha de Sidney Sheldon, lembro que já tinha lido um ou outro livro antes disso, daqueles que os professores te obrigam a ler na escola e, você provavelmente acha um porre, nenhum que realmente te interessava. Nunca tive incentivo na infância para ler livros, nunca ganhei um livro de presente quando criança, não quero culpar ninguém por isso, mas não cometo o mesmo erro que aconteceu comigo.

Você não precisa queimar livros para destruir uma cultura, basta as pessoas pararem de lê-los.

– Ray Bradbury

Sempre que posso presenteio alguém com um livro e, não preciso de datas comemorativas para isso, incentivar a leitura é muito importante, dou livros para os meus sobrinhos também, eles vão crescer com esse habito e quando se tornarem adultos ler não vai ser uma obrigação, algo chato como ouço muitas pessoas dizerem, será natural, pessoas que lêem aprendem mais, tem raciocínio e criatividade mais amplo, sei disso pois comigo foi assim também, com a leitura aprendi muitas coisas, posso até dizer que me tornei alguém melhor.

Ler é tão importante, faz você enxergar o mundão de uma forma diferente, interpretar à vida como ela realmente é, de perspectivas diferentes, por autores diferentes e fora que você viaja entre mundos, aumenta seu repertório.

Eu sempre tive o habito de escrever, desde muito novo e hoje vejo como evolui nisso, ouço pessoas dizerem:

– Parabéns, você escreve muito bem.

Mas não foi sempre assim e, ainda estou longe de ser o escritor que quero ser, estou aprendendo muito mesmo, consigo enxergar isso, e do ano passado para cá escrevi três contos e os publiquei na amazon, deixo eles aqui para vocês caso tenham interesse de ler:

Estou trabalhando atualmente no quarto conto, que se chama O caminho do rei e é o primeiro que escrevo no formato de Fantasia, sempre tive vontade de escrever uma fantasia e está sendo muito desafiador e diferente, estou lendo muitos livros de fantasia para aprender a estruturar a história, a narrativa, o mundo, mas enfim isso que quero mostrar a vocês: Leiam muito e, incentivem outras pessoas à lerem também.

IMG_20171029_121720_293.jpg
Alguns dos livros que tive o privilégio de ler em 2017.

Esse ano já li 24 livros e contos, entre livros físicos e digitais foram cerca de 4.444 páginas segundo meu skoob e estou muito feliz com esse número, pois estou voltando a ler depois de um hiato muito grande, para ter uma ideia eu no ano de 2016 li apenas 7 livros e esse ano nem terminou ainda e já foram 24, então até o final do ano provavelmente esses números vão aumentar.

Bom, então é isso… um feliz dia nacional do livro e agora gostaria de saber de vocês, qual o livro preferido de vocês ? quantos livros já leu esse ano ? tem algum para me recomendar ?

22829911_1496036847142460_5284718846973445741_o.jpg

 

Anúncios

Sobre Thiago D.

Minha maior arte é a forma que eu vejo o mundo e as coisas que acontecem ao meu redor, tenho uma empatia muito grande, entendo como as coisas estão acontecendo ou devem acontecer e isso ajuda na minha percepção para fazer sistemas, estruturar raciocínios lógicos e a construir textos, contos e afins. Busco colocar em palavras os mais diversos sentimentos e sensações, o que escrevo não é autobiográfico, eu chamo de usar a vida como matéria prima. Meu jeito de escrever é esse, e se me perguntarem isso é ficção? Ou não é ficção? – Está no papel(no caso, tá no blog), aconteceu ou não, é ficção.

2 comentários em “Dia nacional do livro

  1. Algures existe sempre um livro para cativar até o pior leitor do mundo. Eu não me consigo lembrar de qual foi meu primeiro livro, acho que já nasci a adorar ler.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Lucia Mathias

    o primeiro livro que li inteiro foi: “a queda para o alto”, não lembro o autor… mas lembro que tinha uns 9 anos na época, desde então, ler é um respiro pra minh’alma, um refúgio muito bom para os dias de tédio…
    Fora que todo o universo literário é muito legal.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: