Suas palavras me causam ânsia

No estômago os ácidos estão em frenesi

Todos tentando digerir a aspereza de suas palavras

A solidão de suas sílabas

A arrogância da sua busca desenfreado por significância

 

No estômago os ácidos estão em frenesi

Todos tentando digerir a dureza de suas súplicas

A cadência de sua alma gasta

A desilusão de uma vida vazia

Ou seria cheia?

 

Cheia de toda ausência

É tanta ausência que se sentiu preenchido

Preenchido de ilusões ilusórias de uma mente desesperada

Os olhos arregalados tentando encontrar o sentido perdido

A boca desesperada em busca da saciedade

A alma calejada nas tiranas palavras aceitação

Preenchido de ilusão

Saciado de miragens

 

A língua agita como chicote

Açoitando o lombo dos que cruzam seu caminho

Você busca no choro e na humilhação deles o seu significado

Enquanto tenta saciar-se com as lágrimas dos que encontra

Dos ridicularizados por você

 

Anúncios