Shows

Green Day: Tour Revolution Radio

P-U-T-A-Q-U-E-P-A-R-I-U

Pronto soltei essas palavras que estava dando um nó na minha garganta, agora posso começar a escrever sobre como esse show foi foda, histórico e magnífico.

Passei boa parte da minha infância e adolescência ouvindo meus irmãos ouvindo Green day em casa, depois as músicas deles foram parar no meu mp3, depois no celular, smartphone e hoje tenho playlist no Spotify e eu sempre tive vontade de ver um show dos caras. Lembro que em 2010 um ano depois de uma curso, eles tocaram em São Paulo, meus amigos foram em peso, falaram como era foda para caralho, mas eu não pude ir por causa de dinheiro na época e fiquei na vontade por sete fucking anos, mais chegou o dia e, bicho; – QUE SHOW DO CARALHO!

23131836_1649777645045172_3580230348310966176_n

Eu fui com o hype lá no alto, mas Billie Joe e os caras não pouparam nada para deixar a experiência tão absurdamente foda como deveria ser.

O show durou umas 2:30h, foram 30 músicas e eu fiquei boa parte desse tempo nas rodas punk  de bate cabeça, que foram simplesmente animais, galera à energia daquilo era absurda. Fazia tanto tempo que não extravasava tanto que simplesmente esqueci do mundo. Ali era eu, Green Day e a roda punk, só.

Sometimes I wish someone out there will find me
‘Till then I walk alone

-Boulevard Of Broken Dreams

Agora estou todo dolorido, quebrado, tô ficando velho para à coisa, mas valeu a pena demais, ouvir e cantar junto com a galera em uníssono em Boulevard of Broken DreamsWelcome to ParadiseBasket CaseAmerican IdiotJesus of Suburbia e ver uma banda que te trás tanta nostalgia terminando o show com Good Riddance (Time of Your Life) foi uma coisa única, fantástica e inesquecível em minha vida.

Só faltou Wake Me Up When September Ends para ser perfeito.

 

Anúncios

Sobre Thiago D.

Minha maior arte é a forma que eu vejo o mundo e as coisas que acontecem ao meu redor, tenho uma empatia muito grande, entendo como as coisas estão acontecendo ou devem acontecer e isso ajuda na minha percepção para fazer sistemas, estruturar raciocínios lógicos e a construir textos, contos e afins. Busco colocar em palavras os mais diversos sentimentos e sensações, o que escrevo não é autobiográfico, eu chamo de usar a vida como matéria prima. Meu jeito de escrever é esse, e se me perguntarem isso é ficção? Ou não é ficção? – Está no papel(no caso, tá no blog), aconteceu ou não, é ficção.

0 comentário em “Green Day: Tour Revolution Radio

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: