Eu sou a calmaria

Eu sou a tempestade

Eu sou aquela que grita

E aquela que sussurra

Eu sou uma

Eu sou várias

Dou gargalhadas

Choro em silêncio

Tenho esperança no mundo

Quero que tudo se exploda

Sou minha própria dicotomia

Sou os meus próprios opostos

Eu atraio a mim mesmo

E tomo distância de mim

Sou diferente de todos

E só mais uma na multidão

Sou aquela que busca o silêncio

E que quer berrar o mais alto possível

Sou como você

Que quer apenas achar seu lugar no mundo

E apaziguar a alma

Anúncios