Quando eu era criança adorava escrever redações. Na 4ª serie fizeram um concurso de redação na minha sala e eu ganhei o primeiro lugar. Como prêmio ganhei uns três livros. Semana passada minha mãe encontrou essa redação e eu queria compartilhá-la com vocês.

OBS.: lembrem-se que eu tinha dez anos. Relevem algumas coisas.

 

Minha vida no Tibet

Olá! Meu nome é Lana Briny, sou uma lhasa apso, uma cachorra do Tibet. Nasci da linda cachorra Sonia Briny, minha mãe, e meu pai Coli Briny. Fui comprada um mês depois de nascida por uma moça chamada Bete Milone, uma veterinária bem legal.

Eu nunca fui maltratada pela Bete. Todo dia eu comia Pedigree e fazia bastante exercício. Eu tomei vacina por toda vida.

Aos 4 anos casei-me com um dálmata chamado Gérgins-cã, ele me ensinou uma linda poesia, assim:

A vida é eterna

Quando saímos

do corpo, é quando

a vida vai pro céu.

Mais tarde tive duas filhas lhasa apso e dois filhos dálmata. Agora estou com a vida pronta para ir pro céu, Bete está com 44 anos e Gérgis-cã com 10 anos.

Lembro-me que ela, a Bete, era uma amiga verdadeira. Quando eu me machucava, ela dava-me sua mão e seu amor para me curar. Eu dou aleluia por ter tido tal dona. Ela era linda. Bom! Espero encontrar-te no céu. Adeus!”

(1954-1968)

Fim

Anúncios