janeiro 27, 2018

Planície.

O resto de nós procura um lago
que já secou.
Muitos morreram de sede.
Outros disseram:
“não tem água, vá embora!”
E assim, o mundo girou.
Nunca será culpa nossa.
Divindades já disseram
que o homem não tem culpa.
que os pais serão perdoados.
que as mães serão esquecidas.
filhos e filhas abençoadas.
Batizadas nas secas terras
das cadavéricas planíces
Ninguém se lembrará mais
que gosto tinha, como era
e que felicidade trazia.
Ninguém se lembrará mais
da sua doçura incauta.
translúcida, inodora.
sem alma, porém
a alma de tantas coisas

O resto de nós desistiu.
O lago secou.
Nosso destino está escrito,
nestas duras terras da planície.
letras que nada além do vento levará.

O resto de nós partiu.
e ninguém nunca mais ouviu
histórias dos que se foram.
dizem que encontraram fartura
mas os que disseram morreram sem desmentir.
nunca ninguém voltou
nunca ninguém ousou ir

E eu cá estou.
Observando os últimos minutos de vida
de um pobre coitado
que apenas uma última mulher
um último gole
um último sorriso
desejaria antes de partir.

E cá estou
sacrificando o moribundo.
para que ele não sinta mais a dor
que é estar vivo neste mundo.

Cá estou
como próximo da fila
com sede, fome e raiva.
de não ter ido e nem ter ficado.
ter pirado.
enlouquecido na nostalgia
de um tempo melhor do passado
que nunca existiu.

Anúncios

Participe da conversa! 1 comentário

  1. Olá! Muito bonito o poema e a imagem que escolheu para compor. Acho interessante seu blog. Muito sucesso, super bjooooooo

    Curtir

    Responder

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Sobre Rhuan Rousseau

Tenho uma lista de filmes para assistir e um tanto quanto de livros para ler. O tempo é tão escasso nestes anos tão estranhos. Escrevo buscando entender este mundo, tal qual um escritor de um manual de instruções. Pretendo um dia ter uma casa com uma janela para um cemitério. Uma boa maneira de pensar na vida e no futuro indubitável de cada um. Agora buscando uma resposta para o futuro em antigas mitologias perdidas. Também querendo ganhar um dinheiro extra, sou um ser humano como todos os outros, e ter uma independência mesmo que pequena, comprar quadrinhos entre tantas outras coisas. Espero que gostem dos meus textos loucos e das minhas estranhas visões do mundo. Blog pessoal: http://omiopepsicopata.blogspot.com.br/ Twitter - @rhuanroussseau

Últimos Posts Por Rhuan Rousseau

CATEGORIA

Textos