A cada estocada o som percorria os seus corpos, a cada estocada ela gemia mais alto, a cada estocada seu pau enrijecia mais e, suas mãos seguravam a cintura dela com mais força.
O cheiro de sexo pairava no ar, misturado ao cheiro de álcool e nicotina.
Foder é bom, foder bebendo é melhor ainda.
Eles metiam loucamente, ela estava vibrando de tesão, fazia caras e bocas, virava o pescoço para observar o rosto dele de prazer. Gostava daquilo, sabia que ele estava com tesão por comela e isso dava mais tesão a ela, muito mais tesão.
– VAI, VAI, VAI – FODE MINHA BUCETINHA.
– GOSTOSA – Gritou ela e, ele meteu com força.
– Minha cachorra – Disse entre sussuros.
– O que você é minha ? – Perguntou enquanto metia nela com vontade.
– Sua VAGABUNDA! – Ela respondeu rebolando no pau dele.
Ele parou, se deitou na cama e disse: – monta.
Ela subiu nele, ambos se mexeram um pouco tentando encontrar a posição certa e então ela sentou e ele entrou nela.
– G-O-S-T-O-S-A – URROU de prazer.
Ela começou a calvagar, gostoso e, com vontade.
Ele delirava de prazer e ela aumentava à velocidade, pois estava amando todo aquele pau dentro de si e queria mais.
Seus corpos agora eram um só, a excitação tomava conta dos dois, ambos estavam conectados pelo prazer.

 

Anúncios