Formigas no meio fio trazem uma filosofia ímpar. Matá-las a sangue frio derrubando um resto de cachaça velha e vê-las agonizar trouxe em mim uma alma masoquista que eu nutro desde os tempos de criança. Depois eu pego a mesma cachaça e passo para dentro e aquilo que deu origem ao holocausto formiguês me alimentou com uma chama escura de dor e prazer. Beber é exatamente isso: sofrer e sorrir. Dai as formigas se contorcem e dentro de mim um riso doentio se instaura, uma alegria despudorada de ser o topo da cadeia alimentar contra aquelas pobres criaturinhas sem propósito. Sua filosofia ímpar de trabalhar e trabalhar e trabalhar até o dia que um desgraçado taca-lhes álcool nos cornos e as dilacera. Ao longe uma cigarra bola de rir.

Do alto do prédio vejo o formigueiro humano que anda desmotivadamente de um lado ao outro. O que eles tanto procuram? O que eles tanto querem? Tal qual as formigas, irão morrer desconhecidos pelas própria imagem, com filhos e netos. Uma casa, um carro, dinheiro na conta, uma televisão enorme. Discutem na internet, debatem sobre direita, esquerda, cima, baixo. Inferno. Caminham na escura e indelicada escada da vida, tentando subir os gigantescos degraus do merecimento. Alpinismo social, buscar sanguessugar as criaturas com algum dinheiro, com algum nome ou com alguma coisa necessariamente descartável. Neste formigueiro, as cigarras são os que roubam, sequestram e matam. Você trabalha e elas tomam. Do alto do meu prédio eu derramo uísque barato, elas não se contorcem. O formigueiro de gente é maior que minha vontade de infringir dor, a maré de carne apenas ignora seu pífio navegador.

E se existir algum Deus, ele observará a mesma maré. Sua maneira de infringir a dor é na base da doença, da angústia e da depressão. Este é o álcool jogado em nossas cucas, esta é a lupa utilizada para queimar o corno de uma sociedade que vai e vem. Se existir algum Deus ele deverá odiar esta cria estranha, opaca, revoltante. Ele coloriu pessoas de diversas formas para que ninguém consiga se encaixar em alguma forma. Se existe alguma entidade superior elá já nos abandonou, e se realmente fomos feitos a sua imagem, é uma imagem deturpada, uma imagem de baixa qualidade tirada por uma câmera Tec Pix, em uma identidade desfocada, deformada, desinteressante. Deus joga vodca em nossas cabeças desejando que agonizemos.

Mas seguimos nossos caminhos silentes, trabalhantes e eternos. Seguimos e seguimos ansiando o dia do eterno descanso.

Anúncios