fevereiro 13, 2018

A Metamorfose – Franz Kafka

Cumpriam até ao fim tudo aquilo que o mundo exigia dos pobres: o pai ia buscar o almoço da família à cantina dos bancários, a mãe matava-se a cuidar da roupa de pessoas desconhecidas, a irmã corria daqui para ali atrás do seu balcão, à discrição dos clientes que a solicitavam, as forças da família apenas eram suficientes para isso, nada mais.

Primeiro livro que leio do Franz Kafka e, gostei da narrativa, da maneira com que faz jogo com as palavras e da metáfora que ele usa para com a vida.

Essa história é maravilhosamente bem escrita, mesmo com a grande diferença de linguagem para os tempo atuais é possível compreender ou deduzir o sentido do texto.

Dispunha portanto de muito tempo para refletir com tranquilidade sobre o modo como iria reorganizar a sua vida.

É um livro que prende você na leitura e é bem curtinho, pois se trata na verdade de uma novela. Uma das muitas interpretações e metáforas que podemos tirar desse livro é da vida de um depressivo, mesmo nessa fantasia que é um ser humano acordar do dia pra noite como um inseto, vemos o personagem central (Gregor) que vive trancado em seu quarto e se torna um incomodo para sua família e, ninguém procura entende-lo, apenas julgam.

Por que diabo Gregor se encontrava condenado a um emprego onde, ao mínimo deslize, era suspeito do pior?

Recomendo a leitura, mas não para principiantes, você precisa gostar de ler para ler essa obra, pois se não provavelmente você vai achar massante e chata.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Sobre Thiago D.

Minha maior arte é a forma que eu vejo o mundo e as coisas que acontecem ao meu redor, tenho uma empatia muito grande, entendo como as coisas estão acontecendo ou devem acontecer e isso ajuda na minha percepção para fazer sistemas, estruturar raciocínios lógicos e a construir textos, contos e afins. Busco colocar em palavras os mais diversos sentimentos e sensações, o que escrevo não é autobiográfico, eu chamo de usar a vida como matéria prima. Meu jeito de escrever é esse, e se me perguntarem isso é ficção? Ou não é ficção? – Está no papel(no caso, tá no blog), aconteceu ou não, é ficção.

Últimos Posts Por Thiago D.

CATEGORIA

Livros, Resenhando

Tags