Cumpriam até ao fim tudo aquilo que o mundo exigia dos pobres: o pai ia buscar o almoço da família à cantina dos bancários, a mãe matava-se a cuidar da roupa de pessoas desconhecidas, a irmã corria daqui para ali atrás do seu balcão, à discrição dos clientes que a solicitavam, as forças da família apenas eram suficientes para isso, nada mais.

Primeiro livro que leio do Franz Kafka e, gostei da narrativa, da maneira com que faz jogo com as palavras e da metáfora que ele usa para com a vida.

Essa história é maravilhosamente bem escrita, mesmo com a grande diferença de linguagem para os tempo atuais é possível compreender ou deduzir o sentido do texto.

Dispunha portanto de muito tempo para refletir com tranquilidade sobre o modo como iria reorganizar a sua vida.

É um livro que prende você na leitura e é bem curtinho, pois se trata na verdade de uma novela. Uma das muitas interpretações e metáforas que podemos tirar desse livro é da vida de um depressivo, mesmo nessa fantasia que é um ser humano acordar do dia pra noite como um inseto, vemos o personagem central (Gregor) que vive trancado em seu quarto e se torna um incomodo para sua família e, ninguém procura entende-lo, apenas julgam.

Por que diabo Gregor se encontrava condenado a um emprego onde, ao mínimo deslize, era suspeito do pior?

Recomendo a leitura, mas não para principiantes, você precisa gostar de ler para ler essa obra, pois se não provavelmente você vai achar massante e chata.

Anúncios