Nunca havia lido nada do Ernest Hemingway, e nesse conto já entendi o quão bem o autor escreve e narra suas histórias, fiquei curioso em ler outras.

Em o velho e o mar, Santiago o protagonista, está a muitos dias sem conseguir pescar nada e muitos dizem que ele está com má sorte. Monolin o garoto que pescava junto com ele, teve de ir para outra embarcação por conta de seus pais e então o velho Santiago teve que continuar seus dias de pescador como solitário.

Tudo o que nele existia era velho, com exceção dos olhos que eram da cor do mar, alegres e indomáveis.

Acompanhamos o velho em uma jornada no mar em busca de peixes e, ele consegue pegar um dos grandes, que dá tanto trabalho para ele quanto possível e, Santiago já velho persiste e consegue captura-lo, mas o mar é traiçoeiro e muitas coisas acontecem, não darei spoiler vai ler o livro, são apenas 130 paginas, é bem curtinho e vale muito apena.

É o tipo de livro que tiramos muitas lições de vida dele, nas entrelinhas está um velho muito sábio, que sabe que o mundo é difícil, mas que não deve temer nada a não ser deixar de fazer suas coisas por conta da idade.

— Então, boa-noite. Irei acordá-lo de manhã. — Você é o meu despertador — disse o garoto. — E o meu é a idade — replicou o velho. — Por que será que os velhos acordam sempre tão cedo? Será para terem um dia mais comprido? — Não sei — redarguiu o garoto. — O que sei é que os moços acordam sempre tarde e maldispostos.

 

Anúncios