A premissa da série vencedora do Emmy 2017 e do Globo de ouro 2018 é a seguinte:

Num futuro distópico, os Estados Unidos não se chamam mais Estados Unidos. Agora, o país é a República de Gilead, governada por um regime totalitário e teocrático em meio a uma guerra civil, no qual a religião domina tudo. Nesse novo sistema, as mulheres são propriedade do Estado, não têm direitos e são divididas em castas – mulheres férteis, raras nessa realidade, pertencem ao grupo das aias e têm apenas uma função: procriar para famílias de homens poderosos e suas esposas estéreis. O processo no qual as aias são estupradas pelos comandantes é chamado de “cerimônia”.

Elisabeth Moss no papel de June/Offred é absurdamente incrível.
A interpretação é impecável, a imersão na personagem é total, por vezes notamos que estamos apreensivo por tudo que está acontecendo a ela, por toda dor que ela passa, por todas as coisas que tem que aguentar nos seus dias como Offred, uma Aia.

O paralelo que a série faz com seu passado como June, onde ela tinha uma família, faz com que entendemos cada vez mais como June vêem sendo torturada psicologicamente, até fico pensando em como ela não ficou louca ainda.

Sem dúvidas alguma, é uma das melhores séries que já assisti na vida e digo mais; é uma série incrível que provavelmente você não está vendo e deveria dar uma atenção maior a ela.

 

Anúncios