Tenho acompanhado as postagens de campanha política pelas redes sociais e também conversado com algumas pessoas sobre o assunto e cheguei a uma conclusão: Essa é a campanha dos idólatras úteis.
Depois de algumas décadas, temos um certo “equilíbrio” das partes políticas, pois temos um “ídolo” da esquerda e um “ídolo” da direita.
Os discursos de defesa desses são iguais: são honestos, injustiçados e só pensam no povo.
Os discursos de ataque ao inimigo também são iguais: são homofóbicos, machistas, mal educados, despreparados… e por aí vai.
As militâncias também utilizam o mesmo discurso de ataque: a outra parte sempre é: ignorante, mal informada, só pensam em seus interesses, são alienadas, cegas… ambas são fascistas, reacionárias e não amam seu país.
Se observarmos friamente, essas eleições está sendo, praticamente ” uma guerra satânica”, aonde os dois lados lutam por demônios… isso segundo a visão de seu oponente.
Nessa disputa está valendo: ofender, negar valores morais, desfazer amizades de anos, e proclamar discursos de ódio… tudo isso regado às incoerências que vão de: “liberem armas para diminuir a violência” à “liberem o aborto, mas não permitam a pena de morte”…. paradoxos das bandeiras ideológicas.
Ao final das contas, nenhum dos lados está se atentando para um fato crucial: As eleições passarão e, dado o andar da carruagem, amargaremos um regime totalitário, independente do lado que vencer… quer direita ou esquerda… então, a pior coisa é se fazer inimigos nesses tempos.
Vejam que em breve, esquerdistas e direitistas precisarão do máximo de amizades e aliados possível, porque os tempos são tenebrosos e nesses tempos, inimigos são sempre um péssimo negócio.
Então. Grite o que quiser, mas não machuque seu oponente… pode ser que amanhã, você precise dele e se ele estiver machucado, não terá forças para te ajudar…

E viva a nação dos idólatras úteis.!!!!

(By Edna Adão)

Anúncios