Já diria Rock Balboa, não é sobre o quanto você bate, e sim sobre o quanto você aguenta apanhar e seguir em frente.

É assim que se vence, não é mesmo?

Mas eu to em um impasse filha da puta, entre conseguir ânimo para seguir em frente e ou desistir de tudo.

Basicamente está acontecendo esse diálogo entre eu e minha mente:

Eu: não desista, o dia que você vai se acostumar a tomar insulina e se furar pra caralho vai chegar.

Minha mente: Você não vai, foda-se essa porra toda!

Eu: não desista, você vai encontrar uma maneira de lidar com isso.

Minha mente: você tá todo fodido, só vai piorar para caralho.

Eu: não desista, seus animais de estimação te amam muito para te perder.

Minha mente: alguém cuida deles, foda-se você!

Eu: não desista, você vai conseguir realizar todos seus sonhos.

Minha mente: que sonhos?

Eu: não desista, você é importante, capaz e pode fazer muita coisa boa no mundo.

Minha mente: você é um lixo.

Apesar de toda essa confusão, o maior questionamento é será que eu vou conseguir sorrir com o coração chorando?

Sorrir de verdade, sem preocupação, espontâneo e não aquele sorriso borrado e sem significado que me acostumei a dar.

Anúncios