Com versos de Ane Brunne – All My Tears

Eu quase consegui tudo
mas agora me encontro perdido
Das coisas que desejei
Tive que vender minha alma
para conquistá-las
Andei por caminhos vergonhosos
Usando de passos tortos até
chegar em meu objetivo
Andei pela loucura e pela obscenidade
procurando uma sombra
ou um lugar ao sol

“Não importa, onde irão me enterrar
Estarei em casa, estarei livre.”

Agora revivendo o passado, desejando no tempo voltar
O ouro das apostas, o desejo de matar.
A prata das balas, que perdera o ar.
Não importa quem dera o seu nome
Não estará em casa, nunca será o homem
Caminhará apenas com a vontade e a fome

“Não importa onde irão me enterrar.
Estarei em casa, estarei livre”

Com todos os meus pecados, escrevi na pureza
das almas que confiaram em mim
Não entendi o motivo, mas entendi quando encontrei o fim
As luzes que apagaram, as trevas que chegaram
Não há mais entendimento, nem frutas nas árvores
Me deram um nome
Puseram o nome na lápide

“Não importa onde irão me enterrar.
Estarei em casa, estarei livre”

 

Anúncios