Os brasileiros são tidos como um povo amigável, e são, em sua maior parte, sociáveis e extrovertidos chegando ao ponto de que se você é introvertido, é considerado frio e grosseiro. Pessoas de outras nacionalidades, como americanos ou europeus, são consideradas frias e grosseiras por eles, por não serem tão “calorosas” quanto eles são. Mas toda essa “amizade” esconde algo de podre por trás: A busca por tamanha proximidade se dá, na verdade, com o objetivo de tornar a vida mais fácil. E a vida em comunidade, onde as pessoas se ajudam e se importam umas com as outras, pode sim se tornar mais fácil, mas nesse caso, apenas no sentido em que possibilita a corrupção, a hipocrisia e a redução à mediocridade.

As pessoas te tratam diferente se você for “amigo” delas, sejam elas ou você profissionais, ou colegas de trabalho. Se elas te conhecem pouco, e você tem uma expressão séria e de poucos amigos, elas tenderão mais a fazer as coisas do jeito certo, como elas deveriam ser feitas, mas a partir do momento em que você se torna “amigo” delas (mesmo que essa amizade só exista na cabeça delas), elas começam a abusar desse laço com você. Por que você acaba de tornar a vida delas mais fácil.

O trabalho não é mais tão bem feito pelo funcionário como era antes, por que ele sabe que um chefe não ligaria para sua vida pessoal e o repreenderia, mas um amigo terá compaixão pela sua incompetência. Um colega de trabalho não pediria a alguém frio para fazer sua parte para ele, ou para corrigir os erros que ele cometeu, mas ele sabe que um amigo não o deixará na mão. Colegas e funcionários fazem o que deve ser feito ou esperam sofrer as consequências. Amigos esperam “consideração”.

“A consideração consiste em, por amor, ter por alguém uma opinião acima da justa”, escreveu Espinoza em seu livro “Ética”. E é aí que começa a corrupção e a mediocridade. Uma “opinião acima da justa” quer dizer que você, por amor, ignora aquilo que é justo e dá àquela pessoa privilégios que não daria a uma pessoa a quem não amasse. Lembrando que para Espinoza, “amor” significa “uma alegria acompanhada da ideia de uma causa exterior”, e “alegria”, por sua vez, “passagem do homem de uma perfeição menor para uma maior”, ganho de potência, o que Freud definiria como “prazer”. Você concede privilégios a uma pessoa e permite que ela cometa erros em troca de prazer. Isso é corrupção.

A pessoa, por sua vez, com seus lamentos, desculpas e acusações de que “você não tem consideração”, “você é cruel”, “certinho demais”, “chato”, “ninguém gosta de quem segue todas as regras”, ameaça privá-lo deste amor, esperando que, na esperança de conservar aquilo que te dá prazer, você irá ceder e permitir que ele continue cometendo os mesmos erros. Isso é chantagem emocional.

E a cada vez que esse plano dá certo, a cada vez que você cede, as pessoas que usam dessa chantagem se tornam mais e mais acomodadas, e seu desempenho, pior. Enquanto críticas, rigidez e justiça tornariam suas vidas mais difíceis, mas fariam com que essas pessoas tivessem de se esforçar mais para evoluir, a acomodação as leva apenas à mediocridade. É o que acontece quando “amigos” pedem sua opinião sobre seus trabalhos medíocres e, por consideração, você mente e diz que estão fantásticos.

Mas é isso o que nos tornamos atualmente. Um bando de medíocres e chorões que se acham todos flocos de neve únicos e especiais, todos a última bolacha do pacote. Escrevem textões nas redes sociais e se acham ativistas revolucionários, escrevem alguns versos em um blog e se acham poetas geniais, escrevem aforismas sobre seu dia a dia e se acham os novos pensadores da contemporaneidade, e isso só para falar da escrita, mas dá pra ver o mesmo em outras formas de arte, na filosofia, ciência, esportes, e todo o resto. Todos fazem o mínimo e acham que são grande coisa, por que sempre têm “amigos” para dizer a eles que eles são grande coisa.

Mas aí então, quando eles saem para o mundo real e vêem que ele não tem consideração, aí então eles se tornam amargos, se acham gênios incompreendidos e falam que são bons demais para um mundo que é injusto e cruel. Tão injusto e cruel quanto você foi quando não teve consideração por todos os erros e atrasos e desculpas que te deram no passado. É como se quisessem chantagear emocionalmente o mundo. Só que o mundo não cede à chantagens emocionais.

E você também não deveria.

Anúncios