Tem dias em que o amanhecer é uma dádiva.

Mas tem dias que levantar é um carma.

Há dias que simplesmente acordar é um fardo.

Dias de tempestades, escuros, lentos, pesados.

Tem dias que todas as coisas dão errado, que você fica pra baixo.

Olha para o lado e só vê o fardo.

Também tem dias que você tá de “boas”,

Pode cair o mundo e você só fica à toa.

E tem os dias foda pra caralho,

Só te mostram que você é um puto cansado.

Dias, dias e mais dias.

Cada qual com um pesar,

Uma rotina a alcançar.

O que fazer? Amar ou odiar?

Eis a questão a pensar.