Minha alma está doente há muito tempo
Não lembro quando um dia esteve saudável
Há tempo que não vejo um céu limpo
As dor da tempestade se tornou insustentável

Se a vida arde no peito, a dor arde no coração
Em chamas, minha pele carboniza
Se resta ainda tempo, não restará razão
E no desespero se encontra beleza

E no auge da dor, apenas resta o sofrimento
De ter o prazer de dormir e a dor de acordar
Com a coragem de desaparecer no vento

Quando a flor que foi plantada
No meu túmulo florescer
Saberá que minha alma doente estará curada

Anúncios