Dia triste para escrever um texto.

Infelizmente estamos vivendo o luto causado por loucos, desajustados, pessoas que não estão em um juízo normal.

Pior do que sentir essa “dor” que ao final das contas não é tão dor assim, está mais para uma comoção emocional disparando meu senso de compaixão, é ter que ler e ouvir constantemente que a culpa é de “A” ou “B”… a culpa é de quem?

A culpa é de todos e não é de ninguém. Não são das armas, uma vez que, elas não matam sozinhas, também não é do governo, pois se mata muito desde o início do mundo, muito menos dos destino, porque acredito que somos nós que o desenhamos. Não adianta procurar culpados. Mas se formos culpar algo ou alguém, que culpemos a nossa falta de sensibilidade.

Vivemos em um mundo em que ter é mais importante que ser:

  • Ter coisas e gastar tempo trabalhando para ver se consegue ser feliz;
  • Exigência pela felicidade… ficar triste é fraqueza… falta de Deus;
  • Perder é humilhante, castrador, frustrante… e isso é sempre ruim;
  • Uma busca desenfreada para dar aos filhos aquilo que não se teve;
  • Uma necessidade louca de agradar… e educar nada;
  • Crianças cada vez menos frustradas;
  • Educação privatizada: Professores, Psicólogo, Psicopedagogo, Babás, Celular, Youtubers… tudo menos os pais;
  • Muita tecnologia, poucos abraços, muita estimulação, pouco ócio, muita competitividade, pouca cooperatividade;

Junte tudo isso e temos uma sociedade doente, repletas de transtornados, psicóticos e suicidas, deprimidos ansiosos e amedrontados… Pessoas doentes por excesso de coisas e falta de sensibilidade.

Não sou partidária de nada, pra mim, discutir política é defender seu bandido preferido – ninguém se preocupa com ninguém, ninguém se preocupa com nada, a não ser como nos roubar de maneira mais sofisticada. Mas hoje, não temos como culpar ninguém.

O problema não é a posse ou porte de armas, tão pouco o maxismo cultural. Se for pra culpar alguém, que culpemos nossa necessidade de ter aquilo que causa uma imagem invejável, mas mata a essência.

Se for pra colocar a culpa em alguém, que o culpado seja a falta de amor, de empatia, de sensibilidade, de humanidade, de limites, de valores responsáveis, que seja nossa própria ganância.

Muita gente tá morrendo na mão de gente louca, que pede socorro todos os dias… mas é frescura né!… Afinal, cuidar da cabeça e dos sentimentos é coisa pra rico, pra quem tem tempo é coisa de louco…

E enquanto se pensa assim… Que vivamos à mercê de atiradores, sociopatas e frustrados destrutivos; que continuemos a ver aumentar as estatísticas de pessoas depressivas, ansiosas, desfragmentadas e suicídios.

E que sejamos falsamente felizes, tentando nos convencer que tá tudo bem… até o próximo atentado.

 

Anúncios