Chega a ser engraçado como existem clichês e o quanto eles se encaixam na nossa vida, com o passar do tempo vemos que o uso deles não são à toa. Um que gostaria de abordar nesse texto é o famoso “a gente pensa que nunca vai acontecer com a gente, que só acontece com os outros”, e cara, como isso é verdade. Nunca estamos preparados para qualquer fato que saia da rotina, principalmente quando esse acontecimento refere-se a perda de alguém, é como minha mãe fala “não estamos preparados para a morte”, e tem como se preparar? Acredito que não.

Embora saibamos que isso faz parte do ciclo da vida, quando acontece próximo a você parece que o estado de choque toma conta e quando a ficha cai meus amigos… o bicho pega! Quanta tristeza, a dor é uma coisa inexplicável, as palavras não mensuram o sentimento de perda. Por mais que a pessoa não seja tão próximo a você, nos questionamos do porquê, é bem complicado, não conseguimos entender isso…o porque um dia a gente vai embora.

E somente com o tempo, ajuda de outras pessoas e amor conseguimos nos conscientizar e entender que o desespero não poderá fazer nada, que temos que aprender a lidar com a dor, a saudade vai estar lá, mas podemos lembrar dos momentos bons que vivemos ao lado dessa pessoa. Isso será fácil? Claro que não! Às vezes a perda é tão grande que para conseguir recomeçar talvez seja até necessária a ajuda médica, ir à psicólogos e entender como lidar consigo mesmo.

Quem disse que seria fácil? Pois é, como nada na vida é fácil….Simplesmente não estamos preparados, e nem ligados no que pode não acontecer dos nossos planos. Por isso deixo a ressalva aqui: viva um dia de cada vez, faça o que tem quer fazer e o que acha que é certo, claro sempre com bom senso, porque a vida é muito passageira. Com um simples piscar de olhos os sonhos podem não ser concluídos, apenas desejados. Aquela atitude que você está pensando em tomar pode ficar só no seu pensamento. Aja enquanto há tempo, viva enquanto pode, curta quando surgir a oportunidade, faça porque o daqui a pouco não nos cabe, apenas o presente.

 

 

 

 

Texto dedicado a Christine Oliveira, vai em paz prima, amamos você 💙

Anúncios