Sabe o que é o mais irônico? Eu sou sensível pra caralho.

Eu sou sensível a ponto de chorar mil vezes com a mesma cena de um filme, ou com a mesma parte de uma música.

A ponto de transformar pequenos desentendimentos em grandes traições, e a guardar rancor por anos.

A ponto de sentir uma raiva capaz de destruir mundos inteiros se tivesse a chance.

E uma tristeza capaz de induzir mil suicídios.

Mas ninguém nunca vai ver isso.

Ninguém vai nem ao menos imaginar isso.

Tudo o que eles vêem é a superfície fria e distante que não se importa com nada.

Mas eu não os culpo. Isso é tudo o que eu mostro.

A verdade é que eu não conseguiria suportar ter de colocar meu caótico mundo interno em palavras racionais para que as pessoas pudessem entender minhas explosões emocionais.

Então eu prefiro ficar sozinho, em silêncio (mas com um fodido debate interno).

E é isso o que as pessoas vêem: Um esquisito que vive sozinho e não fala com ninguém.

Que seja.

Meu intenso mundo interno é mais do que suficiente para manter entretido sem que eu precise recorrer aos dramas da vida diária, como relacionamentos.

Meus debates internos nunca me deixam entediados como as conversas sobre os assuntos do dia a dia

O que importa é encontrar uma maneira de aguentar ficar vivo até o dia da sua morte chegar. Se para isso você quiser usar do mundo externo ou interno, é totalmente opcional. Tudo o que é preciso fazer, como sempre, é nos responsabilizar pelas nossas escolhas.

Qual é a sua?

Anúncios