Ela vai salvar o mundo gozando.
Seu orgasmo influenciará as próximas gerações
Sua peluda boceta fará que o mundo caia de joelhos,
pois será desejada por tantos quantos existirem

Com sua própria religião, líder do seu próprio bando
O sexo na sua carne sem meras revoluções
Fará de lembrança aos mais novos aos mais velhos
Na expectativa do jorro branco que vem ou não vem

Ela vai acordar no mundo, amando
E no seu dia a dia do ir e voltar das conduções
Sua vontade presa pelo contracheque
E quando falta para o bar, o pai sustenta o mês não acabado

Esse ela que ela quer ser vai existir quando?
Morre dentro dela, tudo que se pensa de ações
Acende um cigarro, pensa no namorado, e como ele ainda é um moleque.
É assim a vida, lembra que gozou a última vez apenas se masturbando.

Anúncios