Eu não sei se acredito que exista alguém manipulando as pessoas para serem burras.

Sim, na política existem fake news, os jornais e as notícias não são confiáveis e etc, mas não é disso que estou falando. É claro que a educação é uma merda e existem muitos analfabetos no Brasil. Mas eu também não estou falando disso.

Eu estou falando dos alfabetizados. E a razão pela qual faço isso, é por que acho que já existe gente o suficiente falando sobre aqueles que não têm oportunidades, mas talvez não gente o suficiente falando sobre o que as pessoas que as têm fazem com essas oportunidades.

Por exemplo, pensem comigo:

– Quantos alfabetizados existem que não lêem nem um livro por ano?

– Quantos alunos de cursos avançados colam, não estudam, não se importam em aprender, parasitam os colegas nos trabalhos em grupo e puxam o saco de professores por nota, mesmo sabendo que não merecem passar?

– Quantos zombam daqueles que não vão a festas para estudar, e acham mais “descolados” aqueles que colam, não estudam ou repetem? Isso desde o final do ensino fundamental até a faculdade.

– Quantos zombam daqueles que tentam trazer assuntos mais inteligentes para as conversas, mas adoram aqueles que sempre têm o mesmo papo superficial de balada, bar e cabeleireiro?

– Quantos escolhem cursar uma faculdade “por que não tem exatas”, humanas, ou qualquer coisa que a pessoa simplesmente desistiu de tentar entender?

– Quantos nascem com uma tablet no berço, querem fazer cursos avançados que envolvam pesquisas, pagam pau para gringo, mas não sabem e não querem aprender inglês?

– Quantos não têm o mínimo interesse em saber o que se passa na política do país? (Eu sou um deles.)

Engraçado como muitas dessas pessoas são as mesmas que reclamam sobre a decadência do sistema de educação e a falta de oportunidades para a população em geral.

Eu já vi homens e mulheres inteligentes em faculdades se comportarem como verdadeiros retardados infantis em bares e baladas, por que eles sabem que se se comportassem de forma mais interessante, seriam considerados chatos, e seriam trocados por aqueles que só sabem encher a cara, falar de sexo e jogar truco.

Eu não acho que a inteligência seja admirada em lugar algum. Talvez nem mesmo na universidade. O que é admirado é o lucro que ela pode gerar. Mas se tudo o que ela puder provocar for angústia existencial, então é melhor ser burro e ficar com o sexo e o funk e o álcool. Afinal de contas, nós somos todos utilitaristas, não é mesmo?

Então não me venha com esse papo escroto de que o governo deixa as pessoas burras.

Vocês QUEREM ser burros. Vocês QUEREM ser gado. Vocês só querem que os outros ACHEM que são inteligentes, mas na verdade vocês ODEIAM pensar.

É mais fácil acreditar que as pessoas são meras vítimas de um sistema alienante, do que acreditar que elas escolhem a alienação dia após dia.

E para não dizerem que isso é apenas o desabafo de um pessimista amargurado, reclamando sem base alguma, termino esse texto com um trecho de um livro de outro pessimista amargurado mais conhecido e respeitado pela população em geral:

 

“Por quê nós reclamamos e pedimos por algo a mais? Nós não sabemos a resposta para essa pergunta. Seria pior se nossas preces petulantes fossem atendidas. Vamos, tente, dê a qualquer um de nós um pouco mais de independência, solte nossas amarras, relaxe o controle sobre nós e nós… Sim, eu lhe garanto… Nós imploraremos para sermos controlados de novo.”

Notas do Subsolo – Fiodor Dostoievski