Nimona

Noelle Stevenson criou uma Graphic Novel simples e maravilhosa, pois Ninoma não é uma menina, é um tubarão hahahahahahah

Referências a parte, essa HQ é muito divertida e legal de se ler, os personagens são simples, a história é simples, mas é tão gostosa de ser lida e observada; os desenhos são excelentes, a fantasia flui de maneira comum aos olhos do leitor.

Para todas meninas monstro

A tradução de Flora Pinheiro foi muita boa em manter a naturalidade das conversas e expressões de todos personagens. A Clara Averbuck escreveu um prefácio na orelha do livro que achei foda demais, ela é outra escritora que admiro muito e foi uma surpresa encontra-la no prefacio desse livro, uma surpresa que agregou muito!

Sobre o mundo que Noelle Stevenson criou e seus personagens, só posso dizer que é autentico, Ninoma é Girl Power demais, os outros personagens, principalmente, Coração-Negro e Ouropelvis, passam por grandes transformações durante a trama.

Nimona é uma HQ impossível de largar do início ao fim. Tive que parar a leitura para ir a um show, e até fiquei apreensivo de não conseguir ler no fim de semana, que até pedi para minhas amigas se eu podia levar a HQ no rolê. pois apesar de ter pouco mais de 270 páginas, a leitura flui tão naturalmente que parece um desenho animado ganhando vida e você até sente um calorzinho no peito ao virar a última página.

 

 

 

Anúncios

Thor: Vikings

Essa HQ reúne um arco fechado do Deus Thor, contra os vikings. O encadernado é o primeiro da série e reúne os volumes 1 a 5.

Inicialmente os vikings sofrem uma maldição por um mago de uma vila onde eles massacram todo mundo e então viajam por mil anos de barco, até chegarem em nova york de 2003, praticamente zumbis, mas com uma força sobrenatural por conta do feitiço/maldição que foram submetidos.

Então Thor em um primeiro combate sem saber dessa força por conta da maldição, é espancado por o líder dos vikings, ele é praticamente morto e jogado no mar com o seu martelo amarrado aos seus pés para que afunde. Achei essas cenas de combate muito fodas. Curti muito o desenho.

Com essa premissa, o Deus do trovão agora se vê todo fudido e precisando de ajuda para derrotar os vikings Bad Ass. E a parceria Ennis e Fabry funciona perfeitamente, o roteiro permite que o artista mostre todo seu talento.

Não vou falar mais para não dar spoilers, mas a história é bem pesada, vemos muitos heróis sendo surrados e pessoas morrendo, é o caos que os vikings causam por onde passam.

Black Hammer – Volume 1

Origens Secretas

Sou iniciante no mundo das HQ’s, mas posso dizer que Jeff Lemire criou um universo bastante bad ass, com uma trama que deixa o leitor curioso, com personagens com muitos problemas entre si, mas além de tudo parecem ser um bom grupo.

No passado, eles salvaram o mundo, mas agora levam vidas medíocres em uma cidade rural fora dos limites do tempo.

Eles protegiam spiral city quando derrotaram o antideus e foram parar em uma fazenda, em uma cidade onde não há como fugir, mas Abraham Slam, Menina de Ouro, Coronel Weird, Madame Libélula e Barbalien tentam empregar suas habilidades extraordinárias para se libertar desse incomum purgatório.

A história se inicia em um dia de comemoração de dez anos que estão presos lá, na verdade Abraham Slam é o unico que está comemorando e isso gera muitas tretas nessa equipe, onde vamos conhecendo o passado( flashbacks) e vamos associando ao presente, com suas personalidades distintas.

Nessa cidade, eles são obrigados a disfarçar seus poderes, sua natureza e suas origens aos olhos dos habitantes locais, eles personificam uma típica família disfuncional, tentando criar para si uma vida normal.

Este primeiro volume, Black Hammer: Origens secretas, reúne os primeiros seis fascículos originais e conta ainda com posfácio do autor, perfis da construção de personagens e esboços originais.