Dedo no gatilho

Se a vida fosse um jogo de Blackjack: você tira duas cartas e somam 18 pontos. Você para, ou desce mais uma ?

Capítulo 1 – Como deveria ser.

A chuva bate no vidro dianteiro, fazendo barulho. Ela escuta sirenes cada vez mais próximas, a fumaça do seu cigarro sobe aos céus em pequenas baforadas.

O carro que está dirigindo vai de zero a noventa e seis quilômetros por hora em sete ponto três segundos, e nesse momento está a duzentos quilômetros por hora.

Tudo que ela vê está ali e logo some, desaparece da sua visão, está realmente rápido demais, como deveria ser em uma fuga.
No som do seu Impala 67 está tocando Should I stay or should I go do The Clash, no último volume e no banco de trás está Brian, estirado e sangrando.

– Bárbara acelera caralho, estou morrendo… meu deus eu fui atingido, estou morrendo porra. – Disse Brian entre berros.

Brian estava sangrando muito, o banco traseiro era uma banheira de horror, ele precisava estancar aquilo ou iria morrer antes de chegarem ao seu esconderijo, Bárbara não estava calma, como poderia? era adrenalina pura aquilo, ela precisava ser rápida, mas tinha polícia por todo lado, chuva forte e neblina na estrada que pegara, e seu parceiro não calava a porra da boca desde que fora atingido.

– Brian, você precisa se acalmar e estacar a porra desse sangramento, somos só eu e você agora…tivemos um puta azar, Gritou Bárbara enquanto abria a porta luvas e pegava uma garrafa de Whisky já no final.

– Mas agora você precisa se concentrar em ficar vivo e me ajudar a sair dessa, então cala a porra da boca e toma essa garrafa de Jack Daniels para ver se você para de ser mulherzinha.

Brian estava pálido como um fantasma, segurando a ferida com ambas as mãos a fim de estancar o sangue, o medo estava o consumindo, mas não adiantava ter medo e ele sabia disso, olhou para baixo e era sangue demais, arrancou a garrafa da mão de Bárbara e bebeu como se fosse água, o álcool descendo por sua garganta em gargalos, fazendo-o queimar por dentro e a sensação era de puro alivio, precisava se concentrar, precisava se acalmar, pensava em como foi azarado, mas ainda estava vivo, ainda respirava e agradecia por isso, já seus outros parceiros não tiveram a mesma sorte.

Os cabelos de Bárbara esvoaçavam ao vento, enquanto o motor V8 de seis litros e setecentas, rugia na estrada e mostrava toda a potência dos seus trezentos e oitenta cavalos, a cinco mil e oitocentas rotações por minuto. O carro era rápido o suficiente para deixar os policias comendo poeira, deixando-a sempre com uma vantagem de praticamente um minuto, mas eles não desistiam, estavam em seu encalço e bárbara precisava fazer algo para despistá-los.

 

Conto completo com os demais capítulos disponíveis no wattpad Grátis

https://www.wattpad.com/story/96276355-dedo-no-gatilho

 

Conto completo com os demais capítulos disponíveis na Amazon por R$ 1,99:

 

Dedo no gatilho no Skoob

 

Áudio Drama:

Anúncios

Nunca tem fim

Cedo ou tarde descobrimos, que o futuro nunca foi tão incerto.

Capítulo 1 – Bater a massa.

Um, dois, três e na quarta vez que foi acertado, já sentia o gosto do sangue na boca, mas o agressor não parou e continuo no ritmo frenético de socos e cotoveladas no rosto.

Petros tentava se defender como podia, colocava os braços na frente do rosto, mas cada soco parecia ter um peso e a pressão de uma tonelada caindo sobre si, por vezes seus braços cediam e a saraivada de socos continuavam a deformar seu rosto, já fazem uns dois minutos que ele leva a sequência sem parar, seu olho esquerdo não abre mais, a cara está inchada e desfigurada, sangue sai do seu supercílio que está aberto como uma flor.

O homem tenta erguer os braços uma vez mais, e não consegue. Seus braços estão com hematomas de diversas cores e suas forças, nessa hora já se esvaíram. Ele se deu por vencido e está só aguardando que a luta acabe, mas ela não acaba, pois não é uma luta.

É um interrogatório e só terminará com uma confissão, que o sujeito se negou a dar.

Mas até aonde ele vai conseguir guardar seu segredo.

Mais uma sequência foi desferida com tanta força sobre seu rosto, que Petros perdeu a consciência.

E homem que estava sob seu tronco, gargalhou feliz enquanto arrastava o homem pelas pernas.

Conto completo com os demais capítulos disponíveis na Amazon por R$ 1,99:

Fração de segundos no Skoob

O culto à masculinidade

Gosto de refletir, quem acompanha meus textos já percebeu isso.

E dessa vez quero falar sobre um assunto que vêem me incomodando faz um tempo, mas gostaria de falar dele quando tivesse uma opinião formada, uma clareza de ideias, não que seja absoluta a minha verdade e ou meus pensamentos, longe disso. Quero falar com vocês sobre masculinidade e como ela vêem erroneamente sendo ensinada as pessoas, em como essa masculinidade tóxica que aprendemos e passamos de geração em geração vêem causando efeitos colaterais em nossa sociedade.

Bom, hoje o texto vai ser longo, pesado e muito reflexivo, então se estiver disposto: embarque nessa viagem e vamos pensar.

Primeiro quero deixar claro, que a crítica desse texto é sobre como nós homens estamos nos prejudicando e prejudicando outras pessoas, por acharmos que masculinidade é uma dessas coisas abaixo:

“homem não chora”, “homem tem que ser forte”, “homem não deve falar sobre sentimentos”, Macho de verdade quer sexo sempre que possível, nunca nega uma trepada. Se não transa, é um bosta. Agrada mulheres para no final das contas, transar.

E se fosse possível ter sexo à vontade sem um relacionamento estável e comprometido, soltaria fogos. Macho de verdade não entende sinais, não pode entender isso de emoções também, pois tem que deixar essas coisas para as mulheres.

É agressivo e usa a força com quem ultrapassa seus limites, que devem ser sempre entendidos e respeitados, mas nunca esse homem respeita os limites dos outros e diz que é controlado, mas no final é impulsivo quando ofendido. Tem que ser ambicioso, desdenha de quem não deseja mais da vida, fora que despreza comportamentos que indiquem fraqueza, vindos de outros homens. Pois a fraqueza de mulheres já é esperada, e ele mesmo agir assim? isso é totalmente intolerável.

Sabe masculinidade e feminilidade, até certo ponto, são cultuadas, ora mais para uns, ora mais para outros. Desde primórdios sabemos que os homens e mulheres deveriam restringir-se ao seu papel social de acordo com a sua identidade biológica, de macho e fêmea, e por isso, sua escolha afetiva e sexual deveria voltar-se para o sexo oposto ao seu. E a norma desviante desse padrão era totalmente repelida e punida.

Mas hoje sabemos que isso não é o que ocorre de fato, tivemos algumas revoluções nos últimos séculos e algumas foram satisfatórias e que fizeram com que a sociedade tivesse uma aceitação maior de homossexuais e bissexuais, ainda que exista preconceitos contra esses grupos, a sociedade caminha para que esses preceitos não sejam algo normal e tolerável. Assim como sabemos que movimentos feministas causaram grande impactos fazendo com que a mulher tenha um papel social mais participativo em todas as áreas, com direitos iguais aos homens e isso, meus amigos, é demais.

A luta delas ainda é árdua, pois existe muito machismo e com esses avanços, a masculinidade toxica foi crescendo, e os homens foram criando mais barreiras para não se parecerem com os esteriótipos femininos, então na mente desses machões para ser homem você tem que ter culhões, seu orgulho nunca pode ser quebrado, fora que uma vez dito algo, jamais poderá voltar atrás sobre o que foi dito, assim colocando muitas vezes sua parceira em situações abusivas, e não se esqueça que homem não chora não, você é homem ou não é ?

Os homens cresceram ouvindo que demostrar qualquer coisa faz dele menos homem, que ser sentimental é coisa de mulher, que qualquer coisinha e eles ficam parecidos com uma mulherzinha, sendo que não tem nada de errado em ser uma mulher e muito menos em demostrar sentimentos.

Vi e ouvi essas coisas minha vida inteira, vejo até hoje e sendo homem sempre digo que homem não tem que seguir nada disso, homem é gente, homem é humano, homem tem sentimentos sim, pode chorar sim, pode fazer o que quiser, desde que não prejudique outras pessoas. Sabe não afeta sua masculinidade falar sobre os sentimentos, você não tem que provar nada para ninguém, não tem que pegar trinta mulheres numa noite para falar que é macho, não tem que assediar ninguém para depois contar para os amigos, não tem que tratar mulher como se fosse descartável ou lixo, não tem !

Sua virilidade não é o que vai definir se você é homem ou não, acho que somos todos mais frágeis do que demonstramos, mas ai você é pilhado e bombardeado por esse machismo desde cedo, isso afeta os homens com toda certeza, por isso vemos homens achando que mulher é inferior, que mulher só é pra pegar e descartar, que mulher é isso e aquilo… é difícil tomar consciência de que esse pensamento é errado, de que esse comportamento hediondo e machista é injusto para dizer o mínimo, é complicado entender isso sendo que tudo que você escutou desde pequeno era que isso é uma verdade absoluta sabe ?

E então os caras se reprimem, não falam sobre seus sentimentos, sobre suas tristezas, pensam que precisam ganhar dinheiro para sustentar suas famílias se não nunca estarão fazendo seu papel de homens na sociedade, que são uns bostas, tem muitos caras que estão sofrendo por aí com seus psicológicos arruinados, e não é por acaso que a taxa de suicídios entre homens é muito maior do que em mulheres, homens não estão falando sobre seus traumas, sobre suas tristezas, sobre as coisas que os deixa efêmeros, homens não estão liberando a pressão social que carregam nos ombros e isso está causando consequenciais terríveis sobe eles.

Precisamos efetivamente mostrar que homens também são gente, que também podem ser seres humanos e ensinar desde cedo para a nova geração que eles não são feras de pau duro que caminham.

Suas competições de quem tem o carro melhor, a mulher mais gata do lado, ou quem ostenta mais do que o outro, vemos os machões tentando mostrar sua virilidade com quantos filhos conseguiram ter e falando somente sobre seus paus ou quantas vão pegar e ou pegaram… Homem é ensinado assim, desde pequeno, nas rodas de amigos, é o que vemos em filmes, séries e novelas, a maneira como a imagem do homem é construída, que é passada.

Sabe até quando uma tia ou um parente próximo vê o moleque e já fala bem assim:

Esse aí vai comer todas as menininhas… Mas quando esse mesmo menino se machuca à primeira coisa que falam para o garoto é:

Não pode chorar, segura esse choro menino, você é homem ou não é ?

Essas coisas influenciam na criação da criança, e o garoto cresce achando que masculinidade é isso, se torna adolescente com esse monte de merda na cabeça e se não tiver pegando ninguém acha que tem algo errado consigo, pois na roda de amiguinhos só o que falam é de como a fulana tem um rabo grande ou como os peitões da outra são maravilhosos.

E esses adolescentes crescem mais e se tornam adultos, e ai vemos o que acontece hoje em dia, mulheres sendo assediadas em transportes públicos, na rua, no trabalho e até em suas casas, fora na vizinhança. Deixamos o mundo hostil para elas de um jeito que existe até uma palavra para o crime que causamos diretamente a elas: feminicídio.

1 a 1 a a a est nao mulheres a temer.png

Ficamos tão machistas que alguns pensam que é certo aquele ditado que lugar de mulher é esquentando a barriga no fogão e esfriando no tanquinho, e que pensam que ser macho é dar cantada em mulher na rua, que é bonito ficar assediando as garotas no ônibus ou no trem, que é legal tratar à colega de trabalho um pouco melhor por ela ser mulher e quem sabe possa comer ela depois.

Sabe esse texto é para aqueles que esperam a garota passar para falar algo no ouvido dela, é para os babacas que gritam de seus carros coisas do tipo OLHA QUE SAÚDE, O LÁ EM CASA, QUER UMA CARONA? COISA LINDA. GOSTOSA SE EU TE PEGO TE QUEBRO NO MEIO, entendam que esse texto é para mostrar a essa sociedade machista, que acha que masculinidade é ser superior, esse texto é para mostrar que o machismo já deu, que isso é errado, é coisa para ficar no passado, esse texto é para conscientizar as pessoas e a sociedade de que em uma pesquisa no datafolha em 2015 mostrava que 74% dos entrevistados que afirmaram que já foram assediados eram mulheres e que dessas 39% dizem que foram assediadas na rua, em uma outra pesquisa no mesmo ano de 2015, ao todo, 77% das entrevistadas afirmaram que foram vítimas de algum abuso físico sexual e 10% desses crimes ocorreram dentro de casa. As jovens foram abusadas por irmãos, pais ou parentes próximos.

Você consegue entender o quão hediondo isso é? o quão repugnante essa porra está se tornando?

Já em 2016 em uma nova pesquisa esse número aumentou para 86% das mulheres brasileiras que sofreram assédio em público e o Brasil registrou, nos dez primeiros meses do ano de 2016, 63.090 denúncias de violência contra a mulher, isso sem contar muitas que não contam o que estão passando e não entram nas estatísticas e somente com os dados da pesquisa de 2013 o brasil já entra na lista do quinto pais mais violento contra as mulheres.

E isso não é por acaso, é por conta da forma que criamos e deixamos cultural essa masculinidade tóxica, toda essa baboseira que homem pode e mulher não, que homem é superior e coisas do tipo. Mas sabe isso não quer dizer nada se não fizermos diferente, se você que está lendo tem um filho, o ensine diferente, não de exemplos de que ele possa se espelhar mesmo que inconscientemente, não deixe que o machismo seja natural para ele.

E se você for homem, pense à respeito do que você faz ou deixar de fazer achando que vai afetar sua masculinidade.

Tudo isso é foda para caralho, eu sou um cara que reflete muito sobre isso: masculinidade, sobre machismo e sobre como a cultura que vivemos, a criação que temos vai nós influenciando sabe? Claro que não determina quem você vai ser, mas influência.

E se você não parar para pensar sobre essas coisas, você vai fazendo e achando que é normal, que é natural e quando vê se tornou um boçal, que faz mal para as pessoas ao seu redor e achando que tudo que importa é você ser o durão, o macho alfa e o restante que se foda e te sirva, e isso tudo é bullshit, o máximo que você vai ser é um babaca.

Sou homem, tenho minha masculinidade e sou heterossexual, mas quando estou numa roda cheia de caras, as vezes tenho nojo deles, sabe a maioria não vê mulher como uma pessoa, como alguém que tem sentimentos, só vê como objeto mesmo, tratam como se fossem lixo, acho ridículo. Sabe as coisas que falam, que se vangloriam de terem feito, é  tão raso, são pessoas sem caráter, é patético, chegam e batem palma, disputam quem comeu ou pegou mais e não sei o que, com a maior naturalidade do mundo, para eles realmente isso é normal e é por isso que vejo bem com quem fazer amizade, somente porque não suporto essas coisas, esse tipo de pessoa !

Falar de mulher todos falamos, não estou querendo dizer que isso é errado, os puritanos que se fodam, ambos machos ou fêmeas falam sobre de quem gostaram ou tiveram atração, com quem sairão, se pegaram ou enfim… foda-se, o que estou querendo dizer é quando pessoas são apenas objetos umas para outras, e sei que para os machões que tem essa masculinidade toxica e que precisam se provar o tempo inteiro as garotas não passam disso: Sexo.

E se você é um desses e está lendo, digo para você que não adianta você comer uma loirinha, morena ou uma ruivinha, e discutir sobre qual delas gozou melhor com seu pau e ou qual era mais habilidosa em um blowjob, isso não vai te fazer mais homem, mais masculino ou menos afeminado. Isso só quer dizer que você teve uma transa muito boa.

Eu cresci ouvindo e vendo coisas machistas minha vida toda, por um tempo da minha infância e adolescência achei até que era normal, mas com o tempo fui vendo o quão horrível isso era, o quão errado eu também estava e que não queria ser mais um babaca no mundo, pois esse mundo está lotado deles já !

Eu choro, eu demostro meu amor pelos meus amigos, sim até os homens! Pela família e não tenho vergonha disso… sei que sou homem, tenho minha masculinidade e sei do que gosto e não é uma demonstração do meu afeto que vai mudar isso !

Mas todos somos mais frágeis do que demonstramos lembra ?

Então a maioria dos caras precisam de auto-confirmação, precisam se provar… e sua maior fragilidade está em não conseguirem demostrar, em se privarem de ser pessoas e terem relações afetivas verdadeiras com os outros, em pensarem que não podem porque se não vão ser viadinhos… e tá aí outra coisa que acontece para machões se acharem no direito de serem idiotas, babacas e ou brucutus; para não se parecer viado, bicha ou qualquer uma dessas palavras que eles amam usar para dizer que o cara é homossexual, afeminado, ou algo do tipo.

Como se por eles serem homossexuais fizessem deles menos do que outras pessoas, essa correlação que acontece é complicada demais, essa homofobia generalizada, esse preconceito que misturado com o machismo se potencializa e faz da masculinidade tudo que ela não deveria ser, como as características abaixo:

  • agressividade excessiva
  • medo de ser gay
  • medo de ser fraco
  • medo de ser feminino
  • busca por ser percebido como altamente sexual
  • fechamento emocional (evitar vulnerabilidade)
  • obsessividade com poder e dinheiro (expressadas de modo comum em relações auto-destrutivas com o trabalho)

O uso da palavra “medo”,  está relacionado ao motivo para usarmos como xingamento constante o fato de alguém ser gay, fraco ou feminino.

Odiamos aquilo que de algum modo tememos – seja por medo do contágio ou da identificação com o outro Jose Léon Crochik comenta sobre, em seu livro Preconceito, indivíduo e cultura.

Existe até mesmo o absurdo argumento de defesa “gay panic” (pânico de gays), que pode ser usado nos tribunais dos EUA para atenuar as penas em casos de assassinato. A “gay panic defense” diz que avanços indesejáveis de homossexuais podem levar a “violenta insanidade temporária”.

Essa construção de identidade baseada no medo é explicada na imagem a seguir:

conflitos.png
A imagem foi originalmente concebida pelo professor, psicólogo e pesquisador Jim O’Neil [ http://jimoneil.uconn.edu/ ]. A versão acima foi apenas traduzida por http://www.geledes.org.br.

Nesse contexto alguns clichês aparecem e não é atoa demostramos nossa força a todo instante, no auge de nossa capacidade de machões.

nos dividimos em quatro partes:

Os musculosos: malham, brigam, exibem os bicéps e tricéps.

Os inteligentes: articulam, comandam, estudam, dominam temas complexos e exibem seu conhecimento.

Os bons em games: acumulam mortes, pontos, rankings, medalhas e os exibem nas comunidades online, notórias pela presença massiva de outros homens.

Os ricos: gastam, acumulam, vivem experiências de riqueza, se gabam sobre como o que importa não é o que você tem, mas o que você é, e em seguida ostentam o que possuem.

O ponto é ressaltar o narcisismo tão comum a nós. Sabe esse desmedido senso de auto-importância, talvez só equivalente ao pânico de sermos desimportantes, fracassados e ou fracotes.

E esse tipo de esteriótipos prendem nós homens ao que é conhecido como “The Man Box”  que significa em uma tradução livre “A Caixa do Homem”:

The Man Box.001.jpeg

Com uma pequena analise da caixa do homem, você consegue perceber que o resultado dela são homens com emocionalidade restrita, sufocados, que acabam por adoecer e morrer, ou se autodestruir mais cedo.

Para se ter uma ideia, no Brasil, a expectativa de vida de homens está sete anos abaixo das mulheres.

Muitos homens ao redor do mundo sofrem de “Alexitimia”, uma condição caracterizada pela dificuldade em identificar e expressar os próprios sentimentos. Há pessoas que se sentem confortáveis sendo desse modo, mas outras tantas, não.

É como se homens passassem tanto tempo temendo se associar a qualquer coisa vista como emocional demais – ou seja, supostamente “mulherzinha demais” – que, quando precisamos dessa habilidade, nem sabemos como usar. E não por má vontade, mas pela mais pura e simples falta de treino.

No ápice, quando o homem se vê em um limite, isso leva à depressão, até mesmo ao suicídio.

Essa masculinidade que vivemos, aprendemos e repassamos é toxica, faz com que busquemos a todo momento provar que somos machos, fiquemos com tendencias a violencia, nós fechamos emocionalmente e nos tornamos homofobicos, fora nossa obsessão por dinheiro, mulheres e poder.

Ao meu ver precisamos eliminar e combater essa ignorância, essa irracionalidade que temos, e começar a pensar a respeito do que fazemos, de nossas atitudes como homens, não importando se é negro,branco, pardo, deficiente ou não. Com isso vamos fazer do mundo um lugar melhor, iremos passar a ensinar nossas crianças que masculinidade não tem nada ver com gênero ou orientação sexual, mostraremos que somos todos humanos complexos, nada é tão simples quanto parece e a vida vai nós ensinando isso.

E não significa que devemos proibir homens de expressarem sua agressividade ou sexualidade, existe à personalidade das pessoas também, mas repense ou reflita ao menos uma vez o porque você é do jeito que é.

Não quero com meu texto obrigar ninguém a sair falando dos sentimentos ao acordar.

Não quero que você mude o que você é, quero que pense e reflita a respeito do que você está se tornando, do que você está repassando para outros, de como suas atitudes vêem afetando você e as pessoas ao seu redor.

Atacar a masculinidade tóxica é buscar liberdade para todos, é deixar enfim a vida mais leve.

É permitir as pessoas escolherem sobre como desejam ser, sem que isso coloque em risco o quão homem ou mulheres elas são.

E para finalizar quero deixar aqui alguns termos e seus significados, para que vocês machos entendam que algumas de suas atitudes podem ser até crimes:

Assédio verbal
Palavras desagradáveis, ameaças ou cantadas sem consentimento de ambas as partes. É uma contravenção penal e o autor pode ser multado.

Ato obsceno
Ação de cunho sexual em local público a fim de constranger ou ameaçar alguém. É crime.

Assédio sexual
Constrangimento ou ameaça para obter favores sexuais feito por alguém de posição superior à vítima. É crime.

Estupro
Obrigar alguém, ou tentar perante violência ou ameaça, a ter relações sexuais ou a praticar outro ato libidinoso. É crime.

Bom vou deixar aqui as fontes da pesquisa realizada, que apontam dados e afirmam argumentos mostrados no texto acima e alguns podcast com depoimentos para que possam ouvir:

 

https://www.papodehomem.com.br/os-homens-estao-morrendo-porque-nao-conseguem-falar

https://www.geledes.org.br/masculinidade-toxica-comportamentos-que-matam-os-homens/

2013
https://economia.uol.com.br/empregos-e-carreiras/noticias/redacao/2013/03/08/52-das-mulheres-ja-sofreram-assedio-no-trabalho-falta-de-provas-dificulta-condenacoes.htm

2015:

http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/brasil/2015/06/02/internas_polbraeco,485270/pesquisa-revela-que-77-das-mulheres-foram-assediadas-sexualmente.shtml

http://g1.globo.com/hora1/noticia/2015/05/pesquisa-revela-que-77-das-mulheres-ja-foram-vitimas-de-assedio-sexual.html

data folha 2015:
http://www1.folha.uol.com.br/saopaulo/2015/11/1703472-mulheres-sofrem-mais-assedio-no-transporte-publico-segundo-datafolha.shtml

2016
http://agenciabrasil.ebc.com.br/direitos-humanos/noticia/2016-05/pesquisa-mostra-que-86-das-mulheres-brasileiras-sofreram-assedio-em

http://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,brasil-tem-1-denuncia-de-violencia-contra-a-mulher-a-cada-7-minutos,10000019981

VIDEO SOBRE com estatisticas 2016:

http://noticias.r7.com/jornal-da-record/videos/estatisticas-revelam-nove-entre-dez-mulheres-sofrem-assedio-sexual-no-brasil-20052016

http://agenciabrasil.ebc.com.br/direitos-humanos/noticia/2016-05/pesquisa-mostra-que-86-das-mulheres-brasileiras-sofreram-assedio-em

DENÚNCIAS
O Ligue 180 foi criado pela Secretaria de Políticas para as Mulheres para servir de canal direto de orientação sobre direitos e serviços públicos para a população feminina em todo o país.
A ligação é gratuita e a principal porta de acesso aos serviços que integram a Rede Nacional de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, sob amparo da Lei Maria da Penha, além de ser uma base de dados privilegiada para a formulação das políticas do Governo Federal nessa área.

 

Fração de segundos

Eu nunca quero me sentir como naquele dia

CAPÍTULO UM – DESESPERO

No instante que aquele dedo puxou o gatilho e uma bala atravessou o crânio daquela garotinha de apenas nove anos, nesse exato momento seus pais perderam os sentidos. Foi um disparo a queima roupa.

O estrondo e os estilhaços do vidro traseiro causados por um disparo de uma arma calibre trinta-e-oito próximos aos tímpanos, e o mundo deles desmoronou e então tudo começou a acontecer em câmera lenta;

O grito abafado daquela mãe, o pai ainda sem entender o que acabará de ver no espelho retrovisor, ainda não caiu a ficha que sua garotinha acabou de dar seu último suspiro no banco de trás, pois, o som estridente do disparo está fazendo tudo parecer uma tremenda ilusão, ambos ficaram desnorteados por alguns segundos, mais do que suficientes para imaginar coisas, mas quando se deram conta a realidade era outra, o mundo que emergiu naquele instante, era diferente; um lugar macabro e desumano.

Então tudo voltou a acontecer normalmente, os sentidos voltando para si e ele ficou observando o homem que tirou a vida da sua filha, ver aquele sujeito caminhar normalmente na direção oposta ao carro, dando as costas a situação que acabará de acontecer, foi um misto de desespero e ódio, foi diferente de qualquer sentimento jamais sentindo.

A dor ainda não havia se instalado e o ódio o consumiu em instantes, olhou para o lado e viu sua mulher pálida como a morte, proferindo guturais de agonia que reverberavam os céus, nada podia ser feito e foi nesse turbilhão de sentimentos que ele abriu o portas luvas e pegou uma semiautomática cromada de lá, tirou e colocou o pente, puxou até o final a parte superior da arma, destravando a mesma, e deu uma última olhada no banco traseiro, ainda sem acreditar que aquilo estava acontecendo com ele, abriu a porta e se pôs de pé sobre o meio fio. Ao redor havia apenas o vazio, a criatura que lhe tomou a filha havia desaparecido.

Conto completo com os demais capítulos disponíveis na Amazon por R$ 1,99:

Fração de segundos no Skoob

Todos os cinco horizontes

Era noite, mas não uma qualquer.

Josh e Ashley estão sozinhos no quarto dela.
Ambos bebendo, cantando e ouvindo os acordes daquele violão.

– Hey, oh

O ambiente está tomado, por uma paz e tranquilidade tamanha que os deixam felizes por estarem ali. Por vezes faziam isso, apenas os dois, um violão e o som.

A música que ela tocava e ambos cantavam era a black da banda grunge de seatle pearl jam.

– Sheets of empty canvas, untouched sheets of clay
– Were laid spread out before me as her body once did

A melodia que sai das cordas de aço, conforme ela toca o instrumento os uni como se fossem um só, nessa noite calorosa e quentinha, como quando você se sente ao toque de alguém que ama.

– All five horizons revolved around her sou

A voz de Ashley é linda, macia, aveludada e com uma sintonia perfeita, sua alma tem o peso da música naquele instante.

– As the earth to the sun
– Now the air I tasted and breathed has taken a turn

Josh poderia facilmente viver a vida apenas para escuta-la, pois esses momentos que fazem da vida única e especial para eles.

Momentos assim que alimentam a nossa trajetória, e cada acorde da música o faz recordar como se sente ao receber o abraço de um pessoa que realmente importa em sua vida, ou quando o carinho de seu amor aquece seu corpo, com seus dedos passando por sua pele e o arrepiando inteiro.

– Oh, and all I taught that was everything
– Oh, I know she gave me all that she wore
– And now my bitter hands chafe beneath the clouds
– Of what was everything?
– Oh, the pictures have all been washed in black, tattooed everything

Quando essa conexão acontece entre eles, as vezes ambos pensam na vida como ela poderia ser.
Imaginam como deveria ser com algumas pessoas ainda fazendo parte dela.
Mas a vida não poderia ser, não tem talvez na realidade.
A vida é como ela é.
Lidar e aprender viver nela é o que diferencia as pessoas.
E Josh e Ashley sabem disso melhor que ninguém.

– I take a walk outside
– I’m surrounded by some kids at play
– I can feel their laughter, so, why do I sear?

Josh dá outro gole na bebida e continua observar Ashley cantar.
Sente um arrepio percorrer todo o corpo desde a base da espinha até as pontas dos seus dedos formigarem, quando ela continua a música de forma etérea.

– Oh, and twisted thoughts that spin round my head
– I’m spinning, oh, I’m spinning
– How quick the sun can, drop away
– And now my bitter hands cradle broken glass
– Of what was everything?

Josh vivia voando com as próprias asas enquanto não encontrava Ashley em sua vida e sempre dizia para si mesmo coisas do tipo eu gosto de beber café sozinho e ler sozinho.

– All the pictures have all been washed in black, tattooed everything
– All the love gone bad turned my world to black
– Tattooed all I see, all that I am, all that I’ll be, yeah

Gosto de andar de ônibus sozinho e ir andando para casa sozinho. Isso me dá tempo para pensar e definir coisas na minha mente livre. Eu gosto de comer sozinho e ouvir música sozinho.

– Uh huh, uh huh, oh

Mas quando eu vejo uma mãe com seu filho, uma menina com seu amante, ou um amigo rindo com seu melhor amigo, percebo que mesmo que eu goste de ficar sozinho, não gosto de estar sozinho.

– I know someday you’ll have a beautiful life, I know you’ll be a star
– In somebody else’s sky, but why? Why? why?
– Can’t it be, can’t it be mine
– We, we, we, we, we belong together! Together!

Ver agora Ashley se entregando a música, ao momento e a eles, era o que o fazia ter certeza que a vida é o que ela é, e quando menos esperamos tudo pode mudar.

Dia Cinza

Se pudesse voltar hoje para 11 de agosto de 2006, eu queria poder te contar todas essas coisas meu irmão:

Em 11 de agosto de 2018 você completaria 39 anos, mas nessa data já fazem 12 anos, mais de uma década e eu ainda acordo de madrugada confuso, sem saber bem se você está aqui ou não.
Tem vezes que demoro minutos até me lembrar completamente do dia em que você fechou os olhos para sempre. Mas lembro, hora ou outra.

Você se foi sem ao menos dizer tchau, depois daquele dia cinza tenho medo que fique longe tempo suficiente para eu esquecer de seu rosto e me desculpe não ter sido um alguém que pudesse te ajudar, que você pudesse de alguma maneira se apoiar e confortar um pouco tudo que sentia, sei um pouquinho pelo o que passou, entendo que se sentiu só, triste e não via mais sentido nas coisas, à vida deve ter passado a ser cinza e monótona, e você da sua maneira tentou, sei que tentou viver.

Penso às vezes em como deve ter sido à sua decisão, quando você teve certeza que não dava mais, que era isso que faria depois de deixar sua família bem.

Me desculpe por não ter percebido que você andava triste, mas eu era criança de tudo ainda… queria ter te conhecido como adulto, acredito que poderia te ajudar um pouco… não sei como, mas faria tudo que fosse possível para te manter aqui, talvez o que você precisa-se fosse de uma conversa amiga, franca que você nunca deve ter tido.

Estou te dizendo isso agora, depois de 11 anos, vim de um futuro que você só faz parte de nossos corações, nossas lembranças, pois sei que nunca mais vou te ver, nunca mais vou poder sentir aquele seu abraço, aquelas suas gargalhadas, pois você se foi.

você vai me fazer tanta falta, vai me deixar despedaçado de uma maneira que vou ter que sair pegando minhas migalhas no decorrer da vida, mas uma vez quebrado, o máximo que serei é remendado na melhor das hipóteses.
Você foi um grande homem, era realmente um herói e pagou o preço… dói saber disso, depois de tanto tempo e me estilhaça por inteiro ainda, como se eu fosse um vidro se chocando contra o chão. Fico assim mesmo: quebrado.

Nesse tempo todo que você se foi eu já andei frio, com as idéias bagunçadas. Andei querendo ficar sozinho, não partilho mais minhas tristezas, muito menos minha felicidade. Eu andava me afastando e machucando as pessoas, isso era o que eu queria e consegui ao longo dos anos. Eu não sei o que há, nem o que está acontecendo, mas estou tentando voltar. E o pior de tudo é que eu não consigo voltar por completo, é difícil. Talvez eu só precise de um tempo, talvez só seja uma fase, ou talvez nunca passe.

Sabe não podemos mandar as pessoas embora e depois culpa-las por terem ido, aprendi isso recentemente e por isso, não sei se alguém já te disse isso hoje ou em algum momento da sua vida, mas eu vou dizer:

Valdemir você é importante nesse mundo.

Muito, muito mesmo!

Pra caralho!

Nunca duvide disso.

Sobre pessoas

A impressão que eu tenho é que sou óleo onde todo mundo é água:

Eu posso estar no mesmo lugar, mas jamais farei parte.

Qual foi a última vez que reparou no equilíbrio das coisas?

Mas quando digo equilíbrio, o que vem a sua mente ?
Pensou em se equilibrar? andar e não cair ? pensou em malabaristas, em como é difícil beber e ficar de pé ? mas não é onde quero chegar… estou querendo te levar além, vamos comigo ?

Desde quando você tomou consciência que existe um mundo além do seu, espero que já tenha percebido isso, mas vamos adiante, você já percebeu que a pessoa ao seu lado é um mundo totalmente único e diferente do seu ?

Cada um sente de uma maneira diferente a vida.
Cada pessoa é única em sua história e podemos aprender com todas elas.

Sei que a vida não parece muito justa a maior parte do tempo e você não entende o motivo, e as vezes quer jogar tudo para o alto e desistir, mas espera um pouquinho só.

Eu não sou um cara muito otimista, quem me conhece sabe disso, sou até pessimista demais, mas apenas te digo a verdade, quer dizer a minha verdade, talvez a sua seja outra, pois a minha não é e nunca sera a absoluta.

Vai ficar pior, antes de melhorar e vai da sua persistência para chegar no melhor. E se você errou hoje, talvez possa acertar amanhã. ( parece Bullshit, Besteira ) mas não, não é.

Nunca esqueça que no dia em que você parar de errar, você nada aprenderá mais. pois viver é errar e aprender, não é mesmo? É aprendendo que você vai colecionar;

Histórias e experiências.

E todo mundo sofre e faz alguém sofrer, é natural. Nem sempre acontece do jeito que você deseja, mas acontece mesmo assim e é seu dever entender e mudar algo sobre isso, aprendendo para não tornar a repetir os mesmos erros no futuro.

Vai aprender que ”Relacionamento” não é só prazer, só as festas, as viagens, os momentos de risada e alegria, o sexo, a diversão, o beijo e cumplicidade.

Não é e nunca foi e nunca vai ser e te digo o por quê;

Lembra que te falei que pessoas são únicas, são mundos paralelos dentro de um único mundo e essas pessoas não são objetos que podemos controlar e guardar numa gaveta.

Sendo assim relacionamento tem fases ruins, de vez em quando tem briga, discussão, rotina, implicância, ciúmes, bate boca, mas não podemos deixar que isso seja o normal e caia na rotina de sempre estar como se fosse em uma zona de guerra, onde um não pode por uma virgula que tudo vira uma confusão, assim não é saudável também, tem que haver diálogo.

A gente tem que lidar e conviver, isso é difícil, pois a maioria das pessoas não sabem lidar nem consigo mesmas, não se conhecem de verdade, então imagina amar uma pessoa que veio de outra família, outro mundo, tem outra criação, outros costumes, outros pensamentos, outro cheiro, outro jeito.

Sempre tive medo de perder o que não posso segurar com firmeza. Quero dizer, o que não é meu sabe ?

E pessoas não são fantoches para os quais podemos planejar cada fala, cada sílaba, cada movimento.

Você tem que aceitar aquela pessoa como ela é, como ela chega, e isso dá muito trabalho.

Pessoas não são de ninguém e demoramos um pouco para aceitar que elas possam ir em direções opostas às nossas ainda mais quando estamos apaixonados, amamos ou gostamos muito dessa pessoa, muito mais difícil quando se cria lanços inquebráveis com ela, como filhos, amigos que são como se fossem família e são incomuns para ambos, porque não vai ter um lugar que você vá em que alguém não diga, em algum momento: cadê ela? E vai parecer que, pra sempre, ela vai fazer falta. E vai mesmo, você sabe disso lá no fundo, mas você tem que aprender a lidar, mas se torna quase impossível quando tudo que faziam eram juntos e apesar de tudo o que eram e viveram, de verdade e no fundo vocês foram;

Melhores amigos.
O confidente um do outro, mas quando essa pessoa se vai você pensa logo Por quê?

E só tem uma resposta possível e essa não tem nada a ver com você, é complicado acreditar, mas você vai entender uma hora ou outra. A unica resposta é;

Porque pessoas mudam. Pessoas têm sentimentos, vontades, e são suscetíveis a erro. É impossível controlá-las.

O amor é lindo sim, e é a maior recompensa para quem não tem medo de absolutamente nada.

O Amor é querer estar com a pessoa independente de qualquer situação, pelo simples fato de amar estar junto, é pensar;

DO QUE ADIANTA BALADA, rolê, noitada, se quando você chega em casa o vazio continua?

É mais do que isso, é trocar essas coisas ou mesmo fazer essas coisas com alguém que quer estar com você e no final de tudo, você não vai estar só, vai olhar para o lado e ela estará lá com você.

É cada vez mais raro isso acontecer, acredito que estamos na pior geração desdo tempos dê nossos avós, quando vejo velhos casados a 50, 40 anos é muito legal, e penso do que adianta ter o WhatsApp bombando se no momento difícil, uma pessoa de verdade não está do seu lado? O que adianta ter todos esses seus amigos que bebem do seu copo, te abraçam, tiram foto, e na dificuldade nem um deles está com você?

Quem ai vai ter um par daqui 40 ou 50 anos, acho que estou até equivocado, na verdade as pessoas podem nem querer isso mais, acho mesmo que não querem.

Mas também não é totalmente errado, desde que saibam as escolhas que estão tomando e de quais consequências a vida vai dar de volta.

Pois veja bem com o que você se preocupa e o que você coloca como prioridade na sua vida.

O que realmente vale a pena.

De valor ao que tem valor de verdade nessa vida.

Mas Lembre-se;

Às vezes se perde o telhado pra ganhar as estrelas 🎵